O Brasil não tem mais representantes na última etapa da Liga Mundial de Surfe (WSL, na sigla em inglês), realizada em Pipeline, no Havaí. Nesta segunda-feira, Filipe Toledo chegou até a quinta fase, mas acabou eliminado pelo polinésio Michel Bourez, que venceu a bateria com uma vantagem de apenas 1,30 ponto.

Bourez começou bem a bateria e logo em sua segunda onda surfada conquistou uma nota 7,23. Felipinho encontrava dificuldades e só conseguiu se aproximar do adversário na terceira onda, quando tirou 5,50. O brasileiro, entretanto, não desistiu e foi premiado com uma nota dez unânime ao pegar um tubo perfeito.

A nota máxima conquistada faria Toledo ultrapassar o rival, porém Bourez também brilhou ao surfar um tubo e recebeu dos juízes 9,57 de pontuação pela onda, que manteve o polinésio na liderança. Precisando de 6,80 para superar o adversário, Felipinho tentou virar a bateria, mas esbarrou no pouco tempo hábil para a reação.

O surfista brasileiro chegou à quinta fase da etapa do Havaí do circuito da WSL depois de vencer suas baterias no primeiro e no terceiro round, esta última ao bater o compatriota Wiggolly Dantas. Na quarta fase, no entanto, Filipinho terminou em terceiro na bateria que tinha Kolohe Andino e Jeremy Flores e precisou ir para o quinto round, espécie de repescagem, fase em que acabou eliminado.

Com a derrota de Filipe Toledo e sua consequente eliminação, o Brasil ficou sem representantes nas águas de Pipeline. Caio Ibelli e Jadson André caíram no segundo round, enquanto Wiggolly Dantas, Miguel Pupo, Ítalo Ferreira, Gabriel Medina, Adriano de Souza e Alex Ribeiro deram adeus à competição na fase seguinte.