A possível saída do Reino Unido da União Europeia pode afetar também o futuro dos gigantes ingleses. A decisão pode fazer com que os clubes parem de recrutar atletas talentosos com menos de 18 anos de outras equipes do continente.

Entenda o caso

No dia 23 de junho, próxima quinta-feira, o Reino Unido votará um referendo (chamado de 'Brexit', Britain-Exit) que decidirá se o grupo de nações permanecerá, ou não, como membro da União Europeia. Caso a saída seja confirmada - as últimas pesquisas mostram uma intenção de 53% para que isso ocorra -, mais de 432 jogadores europeus, inscritos nas ligas britânicas na última temporada, podem perder seus vistos de trabalho.

Assim que o Reino Unido deixar a União - se isso realmente acontecer -, todos esses atletas terão de passar por uma espécie de análise. Segundo o jornal britânico The Guardian, são 161 europeus contratados por times da Premier League, entre eles, mais de dois terços (110) não se encaixariam nos critérios exigidos pelo 'novo' visto de trabalho - o mesmo pedido para profissionais que não são europeus.

Por isso, todas as 20 equipes do Campeonato Inglês perderiam ao menos um nome em seus elencos. Os mais afetados seriam dois times que acabaram de cair para a segunda divisão, Aston Villa e Newcastle ficariam sem 9 jogadores cada. Já na Premier League, o Swansea também teria nove afetados, enquanto que o Sunderland ficaria sem goleiros.