Gustavo Hofman

Gustavo Hofman

O sábado em Moscou foi de reinauguração do Luzhniki e estreia de Pedro Rocha

Gustavo Hofman

Após longa novela com o Grêmio por Luan, no final das contas o Spartak Moscou levou Pedro Rocha. Neste sábado, pela nona rodada do Campeonato Russo, o atacante estreou pela nova equipe. Começo apenas discreto, afinal, entrou aos 43 minutos do segundo tempo na vaga de Luiz Adriano, ex-Internacional, na vitória em casa por 1 a 0 sobre o Rubin Kazan.

O atual campeão russo não teve bom início de temporada, e até por isso buscou reforços na janela de transferências. Ocupa agora o sétimo lugar, com 12 pontos, mas pode perder algumas posições dependendo de outros resultados.

Para Pedro Rocha, a vida não será fácil na Rússia. Além da adaptação, vai brigar por um lugar no time, já que não não chegou com status de titular absoluto. O técnico italiano Massimo Carrera mudou, nas duas últimas rodadas, o esquema tático do 4-2-3-1 para uma linha com três zagueiros, três homens no meio-campo, dois alas e dois atacantes, que têm sido Luiz Adriano e Quincy Promes - destaque do Spartak, que ainda marcou o gol da vitória contra o Rubin.

De qualquer modo, com apenas 22 anos, Pedro Rocha já mostrou que tem muito talento e nos últimos meses evoluiu demais, principalmente na finalização. Certamente os moscovitas não vão se arrepender dos 12 milhões de euros investidos.

O jogo aconteceu à tarde na Otkrytiye Arena, palco da Copa do Mundo de 2018, diante de 28.781 torcedores. Mais cedo, o principal estádio de Moscou para o Mundial era reinaugurado.

Em evento festivo que contou com a taça da Copa,  Vladimir Putin, diversas autoridades e alguns ex-jogadores, como Bebeto e David Trezeguet, o Luzhniki foi oficialmente aberto (novamente). Foram muitas reformas nas últimas décadas e milhões de dólares investidos. Desde a tragédia de 1982, quando 66 pessoas morreram, passando pela final da Champions League de 2008, muitas melhorias já tinham sido feitas.

Mas todos nós sabemos como é a Fifa, certo? Não basta ter um estádio que recentemente tinha recebido o principal jogo de clubes da Europa, precisava gastar mais dinheiros. Logo, a partir de 2013, o Luzhniki foi praticamente colocado no chão e totalmente modificado. Os valores não são tratados abertamente, mas a estimativa inicial de toda reforma era de 350 milhões de euros. Serão quatro jogos na fase de grupos, incluindo a abertura, um nas oitavas de final, outro nas semifinais e a decisão final.

O correspondente da ESPN em Moscou, Grigory Telingater, esteve no novo Luzhniki e registrou algumas imagens.