Elton Serra

Elton Serra

Bahia age em silêncio na busca por um técnico. Medo de novo erro faz diretoria manter prudência

Elton Serra, blogueiro do ESPN.com.br

Felipe Oliveira/ECB
Preto Casagrande segue como interino do Bahia
Preto Casagrande segue como interino do Bahia

Ao contrário do que fez após a saída de Guto Ferreira, quando acertou a contratação de Jorginho poucas horas depois, a diretoria não Bahia não tem se apressado para anunciar um novo treinador. Quando entrar em campo contra o Atlético-PR, no domingo, o clube completará duas semanas com técnico interino. Ações silenciosas, porém, têm sido feitas.

A direção tricolor entende que o atual mercado não entrega boas opções. Alguns técnicos foram oferecidos ao Bahia, mas nenhum convenceu os dirigentes, que buscam um perfil compatível com a filosofia do clube - Jorginho foi a "ideia perfeita" na cabeça da cúpula do clube, mas tornou-se uma decepção na prática não só pelo desempenho da equipe, mas também por não ter conseguido fazer com que o grupo se convencesse de que seus conceitos fariam o time evoluir no Campeonato Brasileiro.

Preto Casagrande, interino desde o jogo contra a Chapecoense, na 18ª rodada, conta com o apoio do grupo para ser efetivado. Ele, inclusive, já declarou publicamente o seu desejo de se tornar técnico do Bahia. Pesa ao seu favor o ótimo relacionamento que tem com todos dentro do Fazendão, mas a diretoria ainda não está convencida de que seu nome é o ideal para comandar o tricolor no segundo turno da Série A. O temor é que Preto se torne um segundo Charles Fabian, auxiliar técnico efetivado em 2015, mas que fracassou na tentativa de recolocar o Baha na Série A - saiu do clube, inclusive, deixando desafetos no elenco.

O fato é que, mesmo com a desconfiança, Preto Casagrande tem deixado a diretoria bem à vontade. Como o time se distanciou da zona de rebaixamento e o interino tem deixando o ambiente mais leve, o presidente Marcelo Sant'Ana ganhou tempo para tomar sua decisão. O Bahia tem esperado o mercado de treinadores aquecer novamente para, aí sim, encontrar um profissional que se encaixe no que o clube deseja. Esta decisão, no entanto, deverá ser tomada logo após o jogo contra o Atlético-PR. É o tempo limite. Caso fracasse na tentativa de um novo nome, Preto deverá ser efetivado, sobretudo se conquistar um bom resultado em Curitiba.

O medo de errar novamente tem feito o Bahia ser mais prudente. A diretoria tem sido favorecida pelos resultados, que têm soprado à favor do clube, dando mais tempo para que a decisão seja tomada. Mais uma lição que a temporada deixou aos gestores tricolores.