Gabriela Moreira

Gabriela Moreira

Oposição quer tirar eleições de São Januário por falta de segurança

Gabriela Moreira, blogueira do ESPN.com.br

Para a oposição a Eurico Miranda no Vasco, o estádio de São Januário não tem condições de sediar nem as eleições do clube. Previstas para novembro, já há pedidos na Justiça do Rio para que o pleito ocorra fora da sede do clube. As ações foram interpostas por grupos de oposição ao atual presidente. Os concorrentes temem pela segurança e pela lisura da votação. 

"Não podemos permitir que ocorra o que aconteceu na última eleição. São Januário, infelizmente, não tem condições de sediar a votação. Precisamos de um lugar neutro para a realização", disse ao Blog um dos principais opositores da atual gestão e candidato derrotado em 2014, Júlio Brant. 

Caio Blois/ESPN.com.br
Eleições em 2014  tiveram suspeita de eleitores ´fantasmas´
Eleições em 2014  tiveram suspeita de eleitores ´fantasmas´

A guerra ocorrida entre torcedores do Vasco e a Polícia Militar no último sábado aqueceu o clima político no clube. Nesta terça-feira, uma reunião acontecerá entre pelo menos seis grupos de oposição para definirem quem serão os concorrentes de Eurico Miranda nas eleições. 

Roberto Monteiro e Júlio Brant encabeçam os dois grupos vistos como os mais fortes até agora. 

"Não podemos cometer o mesmo erro da última eleição, quando nos dividimos e perdemos a força na disputa", avaliou Brant. 

Mensalão 

Entre as preocupações da oposição, é que não se repita a inclusão em massa de sócios às vésperas da votação, como ocorreu em 2014. Na ocasião, até eleitores de outros clubes, como o Flamengo, estavam aptos a votar. Chamado "Mensalão", o caso chegou a parar na polícia, mas as eleições não foram impugnadas. 

Numa tentativa de impedir a inclusão de "sócios fantasmas", a oposição também conseguiu uma medida judicial para que o clube entregasse à Justiça uma lista atualizada dos sócios do clube. Em fevereiro, oficiais de Justiça estiveram na secretaria do clube para obter a relação. 

O clube alega que a lista não pode ser levada em consideração, porque não reflete a real condição dos sócios aptos a votar. A oposição pedirá que sejam criadas duas listas, uma com os adimplentes e outra com aqueles que estão com situação pendente. 

"O que não podemos é ficar sem saber quem votou e se estava apto. Vamos pedir que a votação seja filmada, para que possamos saber quem, de fato, participou".  ">Siga @gabi_moreira