Paulo Cobos

Paulo Cobos

Número de pênaltis perdidos dispara, e acertar um no Brasileiro vira mais difícil que fazer lance livre na NBA

Paulo Cobos, blogueiro do ESPN.com.br
Douglas Friedrich brinca com Edílson após vitória do Avaí: 'Ele é meu amigo, mas não deu para ajudar'

Marcar um gol em cobrança de pênalti no Campeonato  Brasileiro virou algo mais difícil do que um jogador de basquete acertar um lance livre na NBA.

Com uma série de erros na rodada deste final de semana, a principal competição do futebol nacional tem agora um índice de acerto de apenas 65,7%. Foram 38 cobranças e apenas 25 convertidas. O aproveitamento seria ainda pior se não fosse Henrique Ceifador, que acertou as 5 chances que ele teve. Sem ele, o aproveitamento seria de apenas 61%.

Na última temporada da NBA, o time com pior precisão foi o Miami Heat, que acertou 71% de seus lances livres, e quatro times superaram a  barreira dos 80%.

Os erros nas cobranças de pênaltis desta Brasileiro estão muito acima do registrados nos últimos anos. Em 2016, 76,6% das cobranças resultaram em gols, contra 78,4% de 2015 e 76,% de 2014.

O aproveitamento também fica muito abaixo do registrado em outros grandes campeonatos nacionais. Na Premier League, a última temporada acabou com 76,4% dos pênaltis convertidos. No Alemão, 73%.

E o número absurdo de erros salta mais aos olhos justamente por que o número de pênaltis marcados pela arbitragem disparou. Até agora, o Brasileiro-2017 teve, na média, 0,32 pênalti por jogo, contra 0,27 no ano passado, 0,25 em 2015 e só 0,21 em 2014.

Melhor todo mundo aprender com o Ceifador como se faz.