Leonardo Bertozzi

Leonardo Bertozzi

Pelo milagre e pela saudade, técnico vai atravessar o país pedalando

Leonardo Bertozzi
Getty
Jogadores do Crotone atiram o técnico Davide Nicola para o alto
Davide Nicola, festejado pelos jogadores do Crotone, vai atravessar a Itália de bicicleta

"Hai voluto la bicicletta? Adesso pedala!"

Quis a bicicleta? Agora pedala. Tradução ao pé da letra de um ditado italiano usado para situações em que alguém consegue algo sonhado, mas tem de lidar com as consequências. Davide Nicola, técnico do Crotone, quis literalmente a bicicleta. E vai pedalar.

Levar o Crotone pela primeira vez à Serie A já era uma façanha para Nicola. Manter o clube calabrês na elite italiana, então, parecia um sonho impossível. Especialmente depois de somar apenas 9 pontos nas 19 partidas do primeiro turno.

A permanência do Crotone parecia uma miragem quando o treinador prometeu, dia 7 de abril, que viajaria de bicicleta até Turim, atravessando o país, caso evitasse o rebaixamento.

Faltavam oito rodadas, e o time havia acabado de diminuir para cinco pontos a desvantagem para o Empoli, primeiro time fora da zona de descenso.

Na rodada seguinte, o Crotone venceu a Inter em casa, embalando uma arrancada final que terminaria com a "salvezza" alcançada na última rodada, batendo a Lazio por 3 a 1. Foram 20 pontos conquistados nas últimas nove partidas - somando-se a 14 das 29 anteriores.

Nicola não escolheu Turim por acaso. Nasceu em Luserna San Giovanni, região metropolitana da capital piemontesa. Pelo Torino, seu time do coração, marcou o gol mais importante da carreira: o do acesso à Serie A em 2006, na prorrogação do play-off contra o Mantova.

Nem todas as lembranças, porém, são felizes. Também na grande Turim, em Vigone, onde ainda reside com a família, o técnico viveu uma tragédia familiar: a morte de seu filho Alessandro, de 14 anos, em um acidente em 2014.

"Hoje sei que você sempre esteve ali comigo", escreveu Nicola em uma emocionante carta após a façanha. "Você conseguiu, com sua energia, me dar a força para lutar e continuar a perseguir o impossível".

Vigone será a etapa final do "Giro d'Italia" do treinador, que passará por cidades que foram importantes em sua carreira: Taranto, Bari, Pescara, Ancona, Livorno e Gênova. O planejamento é cumprir o percurso de cerca de 1.300 km ao longo de nove dias.

A jornada começa nesta sexta-feira, com o apoio de uma loja que forneceu as bicicletas e ajudou Nicola na preparação.