Gabriela Moreira

Gabriela Moreira

Primeiro brindes depois oferta em dinheiro. Como funciona tentativa de aliciar árbitros

Gabriela Moreira, blogueira do ESPN.com.br

Quatro árbitros foram procurados pelo homem que tenta aliciar juízes para atuar em favor de clubes que disputam campeonatos nacionais. A abordagem, até agora, foi registrada por profissionais que atuam nas séries C e D, de partidas no Nordeste. O aliciador, primeiro, oferece brindes dos clubes como estratégia para aproximação com os árbitros. E em um dos casos, chegou a oferecer valores para "compra da partida" falando em nome de um clube até o juiz da partida.

O homem apontado pelos denunciantes é um ex-árbitro da federação do Maranhão, que foi expulso pelo STJD em 2008, justamente por ter sido acusado de tentar comprar o resultado de uma partida do campeonato catarinense. Ele também passou pelas federações do Rio de Janeiro, do Paraná e do Pará. Ainda apita, mas apenas em campeonatos amadores. E voltou à prática do assédio para oferecer a compra e venda de partidas nos últimos meses.

Reprodução
Circular enviada aos árbitros pelo corregedor de arbitragem da CBF, Edson Resende
Circular enviada aos árbitros pelo corregedor de arbitragem da CBF, Edson Rezende

Árbitros ouvidos pelo Blog contaram que ele começa o contato oferecendo camisas e material esportivo dos clubes e depois faz ofertas de valores.

"Ele oferece brindes, como isca, e depois tenta evoluir para valores", contou um dos profissionais ouvidos pela reportagem.

O caso foi revelado na manhã desta quinta-feria, pelo Blog do Sálvio Spinola, comentarista de arbitragem da ESPN, e pelo "Lance!", após a corregedoria de arbitragem da CBF enviar comunicado de alerta a todos os árbitros que apitam campeonatos oficiais da entidade.

Na circular, Edson Rezende Oliveira, corregedor, pede cuidado aos árbitros para o que ele chama de "células criminosas" que "ainda insistem em obter vantagens" no futebol.

Como são as abordagens

O suspeito afirma ter intimidade com atletas e dirigentes do futebol e se percebe que o árbitro ficou interessado em avançar a conversa, dá continuidade à tentativa de golpe. Tem escolhido profissionais menos experientes e jovens. Em pelos menos dois casos, usou não só o contato pessoal, como mensagens de whatsApp para praticar a tentativa de aliciamento.

Como as denúncias chegaram até a CBF

Dois árbitros que foram procurados pelo suspeito levaram o caso às suas federações e ao corregedor Edson Rezende. O caso já foi enviado às autoridades para apuração.

Série A

Diversos árbitros que atuam na série A do campeonato brasileiro foram contatos pela reportagem. Entre os procurados, nenhum foi contatado pelo suspeito, mas todos tinham conhecimento da atuação dele.

"Nunca aconteceu. Se vier, sou o primeiro a ligar de onde estiver para CBF e manter meus superiores informados. Se estou aonde estou, foi trabalhando de forma transparente com sangue nos olhos sempre. E diga-se de passagem, por mérito. Não vou compactuar com nada de errado. Minha honestidade e integridade não comprei na esquina e nem na rua. Isso vem de família, zelo por isso. Nem ouse algum dirigente ou algo parecido venha se aproximar de mim. Andarei pelo resto da minha vida de cabeça erguida", desabafou um árbitro em contato com o Blog.