Fernando Meligeni

Fernando Meligeni

Um dia especial, um personagem incrível: 20 anos do título de Guga em Roland Garros

Fernando Meligeni

Hoje é um dia especial. Um dia que emociona qualquer pessoa que gosta de tênis e do Brasil.

Dia 8 de junho de 1997, o até então pouco conhecido Guga Kuerten entrava em quadra para a final de Roland Garros e vencia seu primeiro título de Grand Slam. A data é histórica e inesquecível, mas muito mais que isso, o personagem é incrível.

Guga foi ganhando seus jogos e, com sua habitual humildade, dizia que estava surpreso, que era uma zebra, que os caras eram melhores... Mas, no fundo, sabia exatamente que podia fazer história. Para mim, sua vitória contra Thomas Muster foi o divisor de águas para realmente acreditar que podia vencer qualquer um. Tão jovem, tão inexperiente em torneios grandes, mas com uma maturidade que não se treina, não se ensina. Uma genialidade nata.

Cada passo em 1997 mudou sua vida para sempre. Mudou o que ele virou para os outros, mas Guga continuou sendo o mesmo figura boa praça, o mesmo "molecão".

Guga é desses gênios que fazem bem ao esporte. Carismático, amado, diferente, inteligente e vencedor.

Tive o privilégio de conviver com ele quase a carreira inteira. Acredito ser um dos caras que mais vi, conversei e dividi momentos bons e ruins. Nem por isso não deixei de ficar perplexo e feliz demais com cada esquerda na paralela, saque aberto na vantagem e até senti na pele, do outro lado da quadra, sua maestria.

Guga conseguiu o que ninguém imaginava possível. Abriu as portas aos tenistas do Brasil e mostrou que era possível, sim, ser brasileiro, com pouca estrutura, e ser um campeão

Obrigado Guga. Você merece todas as homenagens. Você merece aplausos de pé de todos nós.