Gabriela Moreira

Gabriela Moreira

Prisões na CBDA: estratégia de recorrer no plantão para liberdade de cúpula é rechaçada por desembargador. Atletas pedem "socorro"

Gabriela Moreira, blogueira do ESPN.com.br
ALE CABRAL/Gazeta Press
Coaracy foi preso na última quinta-feira
Coaracy foi preso na última quinta-feira

Dois movimentos na internet pedem força às investigações sobre a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), cuja cúpula foi presa na última quinta-feira, na operação Águas Claras da Polícia Federal. Um deles aponta uma estratégia jurídica da defesa dos réus de entrar com pedido de liberdade somente após às 19h dessa sexta-feira, para que o recurso caia nas mãos do desembargador Nery da Costa Júnior, responsável pelo plantão judiciário. O magistrado é o mesmo que cassou o afastamento de Coaracy Nunes, presidente da entidade, que estava afastado sob a acusação de crimes como desvio de recurso público, associação criminosa e fraude em licitação.

"Pelo conjunto robusto de provas no processo é razoável imaginar que se eles forem soltos, nunca mais sejam encontrados", opinou o promotor Roberto Livianu, presidente do Instituto Não Aceito Corrupção.

Em 2012, o desembargador foi afastado de suas funções por suspeitas de favorecimento a empresas em suas decisões, por decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Mas voltou a atuar após decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal. As acusações foram arquivadas, segundo o desembargador.

"As acusações às quais ainda responde o desembargador são da maior gravidade. No mínimo, temos de ficar atentos", disse o promotor.

Nery rebateu:

"Não faço parte de estratégia alguma. Não conheço o Coaracy, nem ninguém da confederação. Não faço parte de estratégia de defesa, nem de acusação. Eu poderia dizer que há uma estratégia da acusação em usar a imprensa para me pressionar. Tenho quase 20 anos de Tribunal, 56 anos de idade e não estou aqui para ceder a pressões de quem quer seja. Vou julgar no processo. Não escolhi estar nesse plantão. A escala foi definida pela presidência há um ano. Quero adiantar a você que julgarei, se eles ingressarem com o recurso, com total isenção", disse o desembargador.

Um mar de corrupção que afundou o esporte aquático brasileiro: entenda o escândalo na CBDA

Carta aberta

Também na internet, 45 atletas das modalidades aquáticas divulgaram uma carta aberta à Presidência da República, ao ministério do Esporte e ao Comitê Olímpico Brasileiro pedindo "socorro". Entre os atletas estão César Cielo, Bruno Fratus, Joanna Maranhã, Poliana Okimoto e Tiago Pereira. Em duas páginas, eles falam da sensação de "desamparo" sentida pelos atletas olímpicos do país.

"Não sabemos como e quando esse triste imbróglio será concluído, e tampouco temos qualquer garantia que nossos direitos serão respeitados e/ou mantidos. Há temeridade na não manutenção do calendário previamente aprovado, e a redução das verbas em razão das discussões nos âmbitos cíveis e criminais, nos torna reféns de um futuro sem qualquer certeza ou garantia de efetivação" e continuam:

"Queremos que as regras estatutárias sejam cumpridas sem manobras, almejamos que nossos dirigentes pensem no esporte exclusivamente, cobiçamos que os atletas e técnicos sejam respeitados, e que o dinheiro público seja corretamente empregado - visando o desenvolvimento dos Desportes Aquáticos"

A CBDA, que está sob os cuidados de um interventor nomeado pela Justiça, divulgou nota à imprensa:

"Todos os funcionários e colaboradores seguem trabalhando na entidade, comprometidos em não deixar que nada falte aos atletas e membros das delegações. A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos é uma das entidades esportivas mais vitoriosas do esporte nacional e sempre cumprirá a função de representar e gerir as modalidades, separando as questões administrativas e técnicas de quaisquer outras que não digam respeito a sua função estatutária."

Ainda segundo a entidade, os Correios não rescindiram o contrato de patrocínio.

O administrador provisório da entidade, Dr. Gustavo Licks, terá reunião com a diretoria dos Correios na próxima semana. O objetivo do encontro é informar como a Confederação tem caminhado neste período desde a entrada da nova administração e demonstrar a importância destes recursos para a manutenção do esporte.