Fernando Meligeni

Fernando Meligeni

Ou o esporte muda ou afunda

Fernando Meligeni, blogueiro do ESPN.com.br
Andrew Patron/Icon Sportswire via Getty
Raquete tênis quebrada rede
Raquete tênis quebrada rede

Outro dia encontrei um presidente de federação na rua e fui cobrado por ter generalizado ao dizer que eu mandaria embora todos os dirigentes esportivos do poder e começaria tudo de novo. Aceitei a crítica, mas me defendi dizendo que na política esportiva que vivemos hoje mesmo os que têm boas intenções não conseguem desempenhar um papel satisfatório. Disse também que nunca acusei ninguém, mas que tinha o direito como eles sempre tiveram com minha carreira de criticar, não concordar ou achar alguém bom ou ruim no que faz.

Lembro rapidamente as críticas que o Bellucci recebe no Brasil mesmo sendo top 100 há mais de oito anos, ter vencido quatro torneios ATP e, mesmo com carreira sólida que tem, muitos o criticam. Se as pessoas podem não gostar ou amar ele por que eu não posso ser contra este ou aquele? Eu mesmo fui criticado quando jogava e sou hoje na televisão. É a democracia. É o direito. É diferente criticar ou não gostar do que acusar.

O que fica claro é que nossa política esportiva não funciona. Fica mais claro ainda que enquanto não se mudar totalmente e não se colocar um cara extremamente competente e corajoso nos cargos que mudam as leis e as regras, não teremos mudanças. Quando digo "competente" não é o que mais grita ou se posiciona. É alguém que entenda de esporte, entenda de gestão, entenda de pessoas e entenda de política.

Meligeni, sobre momento de Federer: 'Está chegando em todas as bolas, parece um menino'

Ao acordar hoje e ver que quatro pessoas da confederação de esportes aquáticos foram presas, alguns devem achar que fiquei feliz. NÃO. Muito pelo contrário. Mais uma vez o esporte morre. O esporte anda para trás. O esporte perde espaço no país. Ao prender dirigentes esportivos, um sinal de alerta tem que ser ligado. Se é um que é preso ou está enrolado podemos e devemos acreditar que é da pessoa. Se mais de um sofre desse mal, o problema é do sistema, da maneira que deixam eles se apoderarem da entidade.

Hoje os atletas da natação podem estar felizes. Hoje o mundo das águas pode estar celebrando. Eu como já me entristeci com o tênis, com o judô, com o basquete, me entristeço com a natação. Acho que todos têm que pagar pelos que fazem. Todos. Mas mais importante que a prisão tem que ser a direção que o esporte vai tomar. O que vai se fazer. Quais as amarras que os dirigentes vão ter. Só prender pessoas não vai fazer o esporte evoluir. Temos o exemplo na política do Brasil. Deixem a polícia fazer seu papel. Façamos o nosso.

Ou se muda ou se afunda.