Fernando Meligeni

Fernando Meligeni

Torneios no Brasil devem aproveitar ao máximo os jogadores top

Fernando Meligeni, blogueiro do ESPN.com.br

Quando o ano começa, uma mistura de ansiedade, oportunidade e preocupação me acompanha.

Nos primeiros meses, temos alguns importantes torneios aqui no Brasil que podem ajudar muito nossos jogadores.

No juvenil temos o Banana Bowl e a Copa Gerdau, que é jogada esta semana em Porto Alegre.

Mais uma vez, os promotores Otávio Dela e Ricardo Camargo fazem o tênis feminino se movimentar. Depois da Fed Cup, teremos dois torneios de 25 mil e dois 15 mil.

No masculino, um ATP 500 (Rio Open) e um ATP 250 (Brasil Open em SP).

São eventos suficientes para movimentar nosso esporte. Só pelo simples fato de termos grandes nomes (dois top 10 no masculino, uma top 100 nos torneios femininos) e um monte de grandes jogadores no juvenil já teríamos que aproveitar.

Mas como seria isso?

Torneio nos EUA erra hino, lembra Alemanha nazista e leva tenistas às lágrimas; VEJA

Antes de mais nada, aproveitar. Ir no torneio e assistir os jogos. No caso das meninas a entrada é grátis. Ir, assistir os treinos, tentar conversar com técnicos, pegar informações. Viver o torneio. Muitas vezes conviver no torneio é bem mais importante do que treinar à tarde no seu clube.

Quem sabe outra ação interessante seria o torneio promover um encontro dos tenistas com juvenis. Tenho certeza que os jogadores top não fariam grandes objeções se isso acontecesse. Vocês imaginam o importante que seria para a molecada? Um almoço ou um simples bate-papo, um no Rio Open para os meninos do Rio ou que estiverem na cidade e um no Brasil Open. Tenho certeza que seria espetacular.

Vivi isso com meu sobrinho semana passada - ele almoçou com o Saretta. E essa hora valeu mais que um mês de treino. Imaginem almoçar com Ferrer, Robredo, Fognini, Cuevas e suas histórias.

Tenista que deu bolada em árbitro pede desculpas: 'Meu comportamento foi inaceitável'

Sou a favor da informação, de tentar coisas novas. Sei que os torneios não tem a responsabilidade de formar tenistas, mas se puderem ajudar ainda mais todo mundo vai ganhar.

Fica a dica. Tomara que alguém leia e goste

Nos vemos no Rio e em SP. Eu terei o maior prazer de ser um desses jogadores que almoçam com nossos juvenis. Se quiserem, jogo também com eles