Gustavo Hofman

Gustavo Hofman

Era uma vez em Stoke...

Gustavo Hofman
Getty
Peter Crouch marca contra o Arsenal o gol mais rápido da temporada da Premier League
Peter Crouch começou a maldição...

Nas distantes terras de Stoke-on-Trent, na região norte da Inglaterra, perdura uma maldição. Jamais outro jogador inglês voltará a marcar um mísero gol pelo Stoke City na Premier League! Tudo começou no fatídico 24 de maio de 2015...

Caía a tarde em um domingo qualquer. Mais de 27 mil pessoas compareceram ao Britannia Stadium sob o nublado céu da primavera inglesa. Em campo, o time da casa receberia o Liverpool. No entanto, já havia algo especial naquela partida, afinal, se tratava da despedida de Steven Gerrard.

Diouf duas vezes, Walters, Adam e N'Zonzi transformaram em 45 minutos o sonho de um belo último jogo em história de terror. Mesmo assim, Gerrard ainda conseguiu colocar um pitaco de magia ao descontar para o Liverpool. Seria sua última imagem.

Era uma vez, porém, um jogador inglês chamado Peter Crouch. Famoso, conhecido por todos, inclusive bastante pelos adversários, o gigante de 2m01 e dança horripilante, fez questão de entrar no conto como o mais terrível ogro. De cabeça, aos 41 minutos da etapa final, marcou o sexto gol do Stoke e decretou o placar final: 6 a 1.

Naquele dia, os deuses do futebol se levantaram contra os ingleses que vestissem a camisa do Stoke. Desde então, lá se foram 56 jogos pela Premier League e nenhum outro jogador nascido em território inglês voltou a marcar pelo time.

Escoceses, espanhóis, galeses, senegaleses, franceses, holandeses, austríacos. Os outros têm resolvido.

Na terça-feira, os Potters tiveram justamente o Liverpool pela frente na tradicional rodada pós-Natal. Decidiram, pela primeira vez desde agosto, escalar novamente Crouch como titular. Claramente era uma tentativa de quebrar o feitiço.

Não deu certo, e o único gol marcado pelo time na derrota por 4 a 1 foi marcado pelo irlandês Walters, que também marcara no amaldiçoado encontro de 2015.

Nenhum clube sofreu tanto com esse tipo de maldição como o Arsenal, que ficou incríveis 97 jogos pela Premier League ser ter um jogador inglês na súmula entre os marcadores. Theo Walcott foi o responsável pela quebra do encanto em fevereiro de 2008 diante do Birmingham.

Enquanto isso, o vento que sopra do Radial Park nos arredores do Brittania Stadium sussurra nos ouvidos dos jogadores ingleses do Stoke... "Nevermore".

Veja os gols da vitória do Stoke City sobre o Liverpool por 6 a 1