Gustavo Hofman

Gustavo Hofman

No confronto de estilos entre Bayern e Darmstadt, coube a Douglas Costa desequilibrar

Gustavo Hofman
622 43ec116b 7f33 35e7 b08a c9dfc84e3e94
Alemão: Melhores momentos de Darmstadt 0 x 1 Bayern de Munique 

Pela primeira vez na história da Bundesliga, duas rodadas consecutivas colocaram frente a frente líder e lanterna da competição. No final de semana passado, o Ingolstadt surpreendeu o RB Leipzig e venceu por 1 a 0. Neste domingo, o Darmstadt tentava repetir o feito, e se preparou muito bem para a partida contra o Bayern Munique.

Jogando em um 4-4-2 extremamente compacto e muito organizado, fez jogo duríssimo contra o gigante da Baviera. As linhas de marcação estavam sempre muito bem posicionadas, graças à enorme disciplina dos jogadores. Quando recuperava a bola, tinha muita velocidade na transição para o ataque e em poucos toques chegava na grande área adversária. Dessa forma, criou algumas oportunidades para marcar e por pouco não conseguiu.

Foi um confronto de estilos. Enquanto isso o Bayern se propunha a ficar com a bola nos pés e atacar. Novamente no 4-3-3, os bávaros tiveram um lado esquerdo muito forte com Thiago, Douglas Costa e David Alaba e pouquíssima amplitude com Arturo Vidal, Thomas Müller e Rafinha pela direita. A proposta do Darmstadt era mais eficiente.

ESPN
4-3-3 do Bayern contra o Darmstadt teve o lado esquerdo muito forte
4-3-3 do Bayern contra o Darmstadt teve o lado esquerdo muito forte

Depois de um primeiro tempo bastante equilibrado, os visitantes tomaram ainda mais a iniciativa de atacar na segunda etapa, contra um adversário que fisicamente já não conseguia contra-atacar com a mesma eficiência. No entanto, sem perder a compactação defensiva, o Darmstadt conseguia segurar o Bayern com muita disciplina tática.

Carlo Ancelotti demorou para mudar o time, mas quando finalmente fez tirou Vidal e colocou em campo Franck Ribéry. Assumiu o 4-2-3-1 com Müller centralizado, posicionando-se como um segundo atacante em diversos momentos - algo que ele já fazia no 4-3-3. A posse de bola, que era pouco efetiva no último terço de campo, se tornou mais dominante próxima à grande área do Darmstadt (terminou com 73,2%). Mesmo assim, o jogo seguia muito difícil.

Foi quando o talento de Douglas Costa quebrou a tática praticamente perfeita do adversário. Em chute de extrema felicidade, o atacante brasileiro marcou um golaço. Um dos gols mais bonitos de 2016.

Trata-se de um Bayern que não domina a Bundesliga como em temporadas anteriores. Na próxima rodada, encara o RB Leipzig empatado em pontos, mas à frente do caçula da competição nos critérios de desempate. As críticas ao 4-3-3 de Ancelotti seguem, principalmente pela péssima forma de Thomas Müller.

Naturalmente vai disputar o título do Campeonato Alemão, mas precisa evoluir para se colocar fortemente na briga pela Champions League.

Siga aESPNnas redes sociais