Gabriela Moreira

Gabriela Moreira

Vice da Federação Carioca ganha cargo de bombeiro no TCE do Rio

Gabriela Moreira, blogueira do ESPN.com.br
ESPN.com.br

O futebol carioca amargou em 2015 um de seus piores anos, mas os dirigentes da Federação de Futebol do Estado do Rio e Janeiro (Ferj) continuaram amealhando altos rendimentos. Um deles é José Luiz Martinelli. Vice-presidente da entidade e sócio de pelo menos seis empresas, entre elas uma imobiliária e uma construtora, ganhou neste ano um cargo na Coordenadoria de Prevenção a Incêndios, do Tribunal de Contas do Estado (TCE), do Rio.

Martinelli, que durante alguns períodos em 2015 assinou como presidente da Ferj, foi nomeado assessor da Coordenadoria, recebendo comissão de R$ 11.475,19 por mês. Seu primeiro salário no TCE foi recebido quando ele se sentava na cadeira de Rubens Lopes, o Rubinho, presidente da entidade. Ficou no cargo durante cinco meses e ao ser exonerado, deu o lugar ao filho Anderson da Silva Martinelli. A vaga também contou com verbas de auxílio educação e saúde, somando ao valor recebido R$ 1.570,00 mensais. 

A decisão de contratar a família Martinelli para um cargo público veio do conselheiro Domingos Brazão. A questão salta aos olhos, pois Brazão e Martinelli são sócios num negócio, o "Auto Posto Giromanilha", que também pertence a outros dois parentes do conselheiro. A contratação de sócios no serviço público é proibida por lei.

José Luiz Martinelli é dono de uma grande construtora no Rio. Foi ela a responsável pela suntuosa reforma da sede da Federação. Domingos Brazão foi eleito deputado estadual pelo PMDB e assumiu este ano a vaga de conselheiro do TCE, após polêmicas. A Associação Nacional dos Auditores dos Tribunais de Contas chegou a representar contra a nomeação.

Segundo a assessoria de imprensa do TCE, os Martinelli foram escolhidos para o cargo por "imperiosa necessidade do serviço e adequada formação do servidor para o serviço prestado". O blog não conseguiu falar com o conselheiro Domingos Brazão, nem com os Martinelli.