Paulo Vinícius Coelho

Paulo Vinícius Coelho

Pela primeira vez, pior defesa do Brasileirão não foi rebaixada para a Série B

Paulo Vinicius Coelho

O Palmeiras terminou o Brasileirão com 59 gols sofridos, três a mais do que o Criciúma, cinco a mais do que o Vitória, 11 a mais do que o Botafogo, 16 a mais do que o Bahia. Os quatro times rebaixados sofreram menos gols do que o Palmeiras, o primeiro clube a sobreviver ao rebaixamento na era dos pontos corridos tendo a defesa mais vazada da temporada.

A estatística não é inédita na comparação com o tempo dos mata-matas. Em 2002, último ano sem pontos corridos, o Fluminense classificou-se para as quartas-de-final com 46 gols sofridos, mesmo número do Palmeiras, rebaixado. Como o Flu sofreu cinco gols no mata-mata, terminou como a defesa mais vazada e não rebaixado.

Em 2001, o Botafogo teve a pior defesa com 51 gols e não caiu. Mas o número da campanha do Palmeiras é expressivo. Em toda a campanha, foram 12 duplas de defesa diferentes, quatro goleiros escalados e mais um no banco de reservas -- Joílson.

Não podia dar certo.