Paulo Vinícius Coelho

Paulo Vinícius Coelho

O quarto título mundial da Alemanha ensina o caminho para o futebol mundial. Mesmo sofrendo na final

Paulo Vinicius Coelho
Getty
Lahm levanta a taça
Lahm levanta a taça: Alemanha é tetracampeã da Copa do Mundo

A final da Copa do Mundo não deixou a impressão de que a Alemanha deu a lição de como jogar futebol moderno. Não jogou uma grande partida, mas só porque esbarrou nas duas linhas bem montadas de marcação impostas por Alejandro Sabella. Às costas delas, apenas Thomas Muller no primeiro tempo conseguiu aparecer.

Toni Kroos não jogou bem, marcado por Biglia na maior parte do tempo. Schweinsteiger e Phillip Lahm conduziram a equipe ao ataque, mas com muita dificuldade para chegar ao ataque.

Apesar da dificuldade e da vitória apenas na semifinal, a Alemanha dá sim a lição de como jogar hoje em dia. Compactação, troca de passes e aceleração no último terço do campo.

Mario Gotze decidiu postando-se como centroavante depois de Miroslav Klose ser substituído, cansado. Também foram impecáveis as atuações de Schurrle, autor da jogada e do passe para o gol do título, e de Boateng, que bloqueou cinco contra-ataques da Argentina.

Para PVC, Alemanha não anunciou que seria campeã e destaca: 'Foi um time sólido do começo ao fim'

A Alemanha merece pelo trabalho dos últimos catorze anos. 

Muita gente ficou até com gosto de que dava para ganhar, pela partida final, em que a Alemanha esbarrou num time organizado e seguro. Mas foi justamente por não ser organizada nem segura na semifinal de Belo Horizonte que o Brasil caiu.

O destino do Brasil poderia mesmo ser a semifinal, por ter dois protagonistas de 22 anos. Mas não precisava do escãndalo do 7 x 1. A Argentina mostrou como se poderia evitar.

A Alemanha, como se pode fazer para ter o melhor futebol do mundo.

Alemães vão à loucura com gol do título na Fan Fest em Munique

FICHA TÉCNICA
ALEMANHA 1 X 0 ARGENTINA
Copa do Mundo 2014 - Final

Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro-RJ
Data: 13 de julho de 2014, domingo
Horário: 16h (horário de Brasília)
Público: 74.738 torcedores
Árbitro: Nicola Rizzoli (ITA)
Assistentes: Renato Faverani e Andrea Stefani (ambos ITA)
Cartões amarelos: Schweinsteiger e Howedes (ALE); Mascherano e Aguero (ARG)

ALEMANHA (4-1-4-1): 1. Neuer (7), 16. Lahm (7,5), 20. Boateng (8), 5. Hummels (6) e 4. Höwedes (4); 7. Schweinsteiger (7); 13. Thomas Muller (6,5), 23. Kramer (5) (9. Schürrle 30 do 1º (8)), 18. Kroos (5) e 8. Ozil (5) (17. Mertesacker 14 do 2º da prorrogação (sem nota)); 11. Klose (6) (19. Gotze 42 do 2º (8)) Técnico: Joachim Löw

ARGENTINA (4-4-1-1): 1. Romero (6,5), 4. Zabaleta (6,5), 15. Demichelis (5,5), 2. Garay (7) e 16. Rojo (6); 8. Enzo Pérez (6,5) (5. Gago 40 do 2º (5,5)), 6. Biglia (6,5), 14. Mascherano (6,5) e 22. Lavezzi (6,5) (20. Aguero, intervalo (6)); 10. Messi (6,5); 9. Gonzalo Higuain (5,5) (18. Palacio 31 do 2º (6)) Técnico: Alejandro Sabella

A história da Copa das Copas contada em 2 minutos e 275 fotos

Homem do jogo FIFA: Gotze
Homem do jogo PVC: Boateng
60% x 40%

A ESPN fez a 'Copa das Copas', e o final do Mundial deixa um legado: felicidade, #ESPNTEM