Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira

Pelo fim do tribunal no futebol brasileiro

Mauro Cezar Pereira, blogueiro do ESPN.com.br
Mauro Cezar Pereira, blogueiro do ESPN.com.br

Imagine o futebol brasileiro sem o tribunal. Jogos decididos no campo, sem recursos, indiciações, efeitos suspensivos. Sem julgamentos! Campeonatos com punições pré-definidas. Três cartões amarelos, um jogo fora. Expulsão após dois cartões amarelos, um cotejo de gancho. Vermelho direto: três partidas de suspensão. O próximo compromisso, sempre, sem esperar julgamentos. No lugar de um tribunal, um sistema via internet por meio do qual todos poderiam checar a situação dos atletas suspensos, ou não.

Não consultaríamos mais os "resultados dos julgamentos", mas a lista de atletas punidos. Hoje na página da CBF encontramos informações como esta: "Por unanimidade de votos, se conheceu do recurso, para no mérito, negar-lhe provimento, mantendo a decisão da Quarta Comissão Disciplinar que suspendeu o atleta Carlos Wanderson Aguiar Silva por 1 (uma) partida, por infração ao art. 250 do CBJD." Teríamos apenas o nome do jogador, quantos jogos ele cumprirá de suspensão, o motivo, a partir de quando e até qual dia.

Caberia ao delegado do jogo checar se na súmula há suspensos. Sim, uma medida preventiva, justa, honesta, transparente, que protegeria o campeonato. Um equívoco com a presença de alguém punido entre os relacionados para uma peleja seria detectado antecipadamente. E não ocorreriam situações que podem ser evitadas. Estaríamos livres do caos que se instalou em 2013. Seria muito, mas muito melhor para o futebol brasileiro, torcedores, patrocinadores, atletas e clubes.

No lugar do tribunal, um comitê poderia analisar apenas os casos excepcionais, como um erro de lançamento na súmula. Exemplo: árbitro dá cartão a João (a TV deixa isso claro) mas ele se engana no preenchimento e o lança para Pedro. Essa comissão poderia corrigir o equívoco sem polêmica. Se um torcedor joga algo em campo, ele deve ser detido e punido. Se o regulamento determinar pena ao clube, ela será aplicada, sem a necessidade de julgamento. Simples e objetivo.

Expulso na derrota do Tottenham para o Liverpoool por chutar Suárez, Paulinho terá que cumprir três jogos de suspensão na Inglaterra, pois levou o cartão vermelho direto. Na página da FA, a "CBF" de lá, qualquer pessoa pode consultar a situação dos atletas de todas as divisões. No caso do meio-campista brasileiro dos Spurs, podemos observar quando começa e termina sua suspensão. E de quantos jogos é a punição. Não fica margem de dúvida, está tudo muito claro.

Nesse futebol sem tribunal, Héverton não teria sido relacionado pela Portuguesa para o jogo diante do Grêmio. André Santos também não enfrentaria o Cruzeiro com a camisa do Flamengo. O goleiro Elisson não sentaria no banco cruzeirense na partida contra o Vasco. Não haveria polêmica alguma quanto à participação de Tartá em jogos pelo Fluminense em 2010. Bastaria acessar o site da CBF e verificar a lista de suspensos. Basta de tribunal no futebol.

Reprodução
Na página da federação inglesa, os suspensos, entre eles Paulinho: quando começa e quando termina a punição
Na página da federação inglesa, os suspensos, entre eles Paulinho: quando começa e quando termina a punição

Se você gosta de vídeos de torcidas, acesse o canal no Youtube clicando aqui.
Caso tenha vídeos do gênero que possam ser publicados no canal e queira enviá-los, entre em contato pelo twitter (acima).