ESPNFC 100 - os 10 melhores técnicos do mundo em 2017

  •  

    Técnicos

     
     

    O futebol pode parecer um caos, mas os melhores técnicos conseguem ver o panorama completo a todo momento e, acima de tudo, não entram em pânico quando o plano A não funciona. Afinal, eles já têm planejados os planos B, C e D. Os principais treinadores conseguem amenizar os enormes egos e talentos do time durante altos e baixos emocionais em várias competições, mantendo todos felizes, harmoniosos e totalmente comprometidos com a causa.

     
       

     

    Zinedine Zidane

    Real Madrid | Idade: 45 | Ranking em 2016: N/A

     

    Ninguém sabia muito bem o que esperar quando o ex-jogador galático, mas treinador novato, Zinedine Zidane substituiu Rafa Benitez como técnico em janeiro de 2016. Os 18 meses seguintes trouxeram inéditos sete troféus, enquanto o time de Zidane também se tornou o primeiro a vencer a Champions League consecutivamente na era moderna, com Zidane mostrando uma excelente habilidade para gerenciar uma equipe cheia de talentos mundiais e egos estratosféricos. Depois de ser reconhecido como o melhor treinador pela Fifa em 2017, Zidane sugeriu, de forma serena, que ele ainda tinha muito o que melhorar em sua segunda carreira. "Eu era um jogador melhor após jogar por 35 anos", ele respondeu. "E só sou técnico há 18 meses. Essa é a diferença." Por Dermot Corrigan

     

    Antonio Conte

    Chelsea | Idade: 48 | Ranking em 2016: 9

     

    Alguns técnicos são totalmente impenetráveis. Sven Goran Eriksson, por exemplo: você nunca pode realmente dizer o que ele está pensando. Com Antonio Conte este problema não existe. O técnico do Chelsea é tão transparente na linha lateral que ele muitas vezes pode ser mais interessante do que os jogos de sua equipe. O ex-técnico da Juventus exige uma dedicação completa de seus jogadores, mas ele é mais do que um mestre de obras. Sua decisão de acabar com a formação 4-2-3-1 (ou suas variantes), que deu ao Chelsea cada troféu conquistado, foi um golpe de mestre. Mas quanto tempo ele vai ficar na Inglaterra? Por Iain Macintosh

     

    Pep Guardiola

    Manchester City | Idade: 46 | Ranking em 2016: 1

     

    Ainda é engraçado ver que há aqueles que acreditam que Pep Guardiola é uma fraude, como se ele fosse apenas uma mão firme no leme da já bem sucedida equipe do Barcelona, não um técnico novato caminhando para um vestiário em desintegração de garotos festeiros e famosos e transformando todo o clube em uma máquina vencedora imparável. Como se ele não estivesse constantemente ajustando e moldando seu time em uma busca vã pela perfeição no futebol, nunca se satisfazendo, mas ganhando muitas glórias no processo. Será que essas pessoas lhe darão o crédito que ele merece se ele também transformar o Manchester City? Provavelmente não. Mas a perda é deles. Por Iain Macintosh

     

    Diego Simeone

    Atlético de Madrid | Idade: 47 | Ranking em 2016: 2

     

    O que Diego Simeone fez no Atlético de Madri, levando-o para consecutivas finais da Champions League, e superando o Barcelona e o Real pelo título da La Liga em 2013-14, com uma fração do orçamento, é uma das melhores peças de futebol do século 21. No entanto, ele agora está se aproximando de uma encruzilhada. Apesar de liderar o Atlético em sua nova casa, o Wanda Metropolitano, e concordando em estender seu contrato até 2020, ainda há um elemento de incerteza sobre o que ele fará em seguida. Com o novo estádio, o aumento das finanças e expectativas mais elevadas, ele pode se tornar uma vítima de seu próprio sucesso no Madri. Enquanto isso, a Inter de Milão e os clubes da Premier League estarão observando atentamente sua próxima jogada. Por Sam Marsden

     

    José Mourinho

    Manchester United | Idade: 54 | Ranking em 2016: 7

     

    O chefe do Manchester United, José Mourinho, é o técnico mais implacável que a Premier League já viu. Um estrategista qualificado, ele tem a capacidade de detectar uma fraqueza em qualquer equipe adversária e a determinação de fazer o que deve ser feito para explorá-la, mesmo que isso signifique desanimar os puristas que acreditam que o futebol deve ser principalmente uma fonte de entretenimento. Mourinho zomba desse tipo de pensamento estético. Ele usará qualquer truque que possa para obter uma vantagem, desde a direção errada até a intimidação, desde o elogio até se esconder em um cesto de roupa para fugir de uma proibição da UEFA de entrar no estádio. Por Iain Macintosh

     

    Massimiliano Allegri

    Juventus | Idade: 50 | Ranking em 2016: N/A

     

    No verão passado, Allegri perguntou se ele havia levado a Juventus o mais longe que podia. "Este é o fim da estrada?", pensou. Allegri considerou renunciar na segunda-feira após a derrota por 4 a 1 contra o Real Madrid na final da Champions League, seu segundo fracasso naquele palco durante seu reinado, mas finalmente decidiu que ainda havia trabalho a fazer e optou por continuar. A Juve só pode agradecer: sua volta para a cúpula da Europa deve-se muito a Allegri, cuja flexibilidade tática tem pago ricos dividendos. Um exemplo é o primeiro jogo da semifinal em Mônaco, onde ele mudou para uma defesa central de três homens e foi recompensado com uma vitória perfeita por 2 a 0. Allegri é um pensador profundo e um professor dedicado para seus jogadores: dar esse passo final será uma situação difícil, mas a Juventus não poderia estar em melhores mãos. Por Nick Ames

     

    Joachim Low

    Seleção da Alemanha | Idade: 57 | Ranking em 2016: N/A

     

    O sucesso na Copa das Confederações com uma equipe "B" e um recorde perfeito na campanha de classificação da Copa do Mundo (10 vitórias em 10 jogos) destacou a grande habilidade do técnico alemão em gerenciar a abundância de riquezas à sua disposição. Independentemente da formação e do pessoal, o Die Nationalmannschaft tende a ganhar, jogando invariavelmente um futebol impressionante no processo. O estilo silencioso e despretensioso de Low no comando só será realmente apreciado quando ele abrir caminho para um novo treinador, provavelmente após a Copa do Mundo na Rússia. Por Raphael Honigstein

     

    Mauricio Pochettino

    Tottenham | Idade: 45 | Ranking em 2016: 6

     

    Mauricio Pochettino foi o quarto técnico do Tottenham em pouco mais de dois anos, quando chegou em 2014, e suas perspectivas inicialmente pareciam sombrias. Suas habilidades não estavam em dúvida, o problema era que nem Andre Villas-Boas nem Tim Sherwood tinham tido tempo para igualar as realizações de Harry Redknapp em levar os Spurs para a Champions League. Pochettino superou-os, e pela primeira vez na era da Premier League, ele mesmo transformou os Spurs em genuínos guerreiros por títulos. O próximo passo é realmente ganhar algo, é claro, mas nunca esqueça que Pochettino conseguiu levar os Spurs até este ponto, fazendo o que uma geração inteira julgava impossível. Por Iain Macintosh

     

    Carlo Ancelotti

    Sem clube | Idade: 58 | Ranking em 2016: 4

     

    Até o seu recente revés no Bayern de Munique, Carlo Ancelotti foi o líder incontestável da elite da Europa. Tem um grande clube? Tem um esquadrão de meninões com má performance, rudes e milionários? Ainda não consegue ganhar o título? Ancelotti era seu homem. Ao gerenciar de forma tranquila, o italiano conseguia acalmar e ajeitar qualquer equipe, ganhando troféus em todos os clubes desde que voltou ao Milan em 2001. O único problema era que o apelo da gestão laissez-faire (francês para "deixá-los seguir com isso, veremos o que acontece, né?") sempre ficou desgastado. Os proprietários adoram um projeto e Ancelotti não é um cara para projetos. Por Iain Macintosh

     

    Leonardo Jardim

    Monaco | Idade: 43 | Ranking em 2016: N/A

     

    De certa forma, você poderia dizer que Jardim tem um dos trabalhos mais difíceis no futebol de alto nível. O Monaco desenvolve uma maré de jogadores jovens e a grande maioria é vendida inevitavelmente após um vislumbre da sua capacidade. É preciso qualidade excepcional para remodelar uma equipe como Jardim fez, primeiro ao criar os vencedores do título francês e semifinalistas da Champions League que emocionaram a Europa na temporada passada. Agora, ele tem a tarefa de moldar um sucessor que fique em segundo lugar na Ligue 1 e cujo potencial poderia ser igualmente excelente. Jardim assumiu seu primeiro papel gerencial sênior aos 27 anos. Mais de 15 anos depois, ele provou estar no mais alto nível, e é certamente uma questão de tempo antes de ter também a oportunidade de dar o último passo e se juntar a um dos gigantes europeus. Por Nick Ames

     

  • GOLEIRO



     
  • LATERAL DIREITO



     
  • ZAGUEIRO



     
  • LATERAL ESQUERDO



     
  • MEIA



  • MEIA-ATACANTE

     
  • PONTA

     
  • ATACANTE

     
  • CENTROAVANTE

     
  • TÉCNICO