Viúva de Steve Jobs, senhora de 92 anos e CEOs após saída de maridos: conheça mulheres donas de times da NBA e da NFL

espnW.com.br

Getty
Martha Firestone Ford assumiu o Detroit Lions, da NFL, depois que seu marido faleceu
Martha Firestone Ford assumiu o Detroit Lions, da NFL, depois que seu marido faleceu

Cerca de 10 dos 133 times das quatro grandes ligas de esporte profissional dos EUA e do Canadá (NBA, NFL, MLB E NHL) têm mulheres na liderança. E uma delas estará na torcida nesta quarta-feira, quando Memphis Grizzlies e San Antonio Spurs se enfrentaraem às 23h30, com transmissão da ESPN, pela Conferência Oeste da temporada regular da principal liga de basquete do mundo: Julianna Hawn Holt, nomeada CEO da Spurs Sports & Entertainment em março do ano passado.

SS&E é a empresa que administra diversos clubes esportivos, sendo o San Antonio Spurs o principal deles. Com experiência de fazendeira, executiva bancária, mãe e avó no currículo, Julianna esteve fortemente envolvida na construção da AT&T Center, casa da equipe. Ela queria um espaço que representasse os valores da companhia e refletisse a história a e a beleza do Texas.

Foram anos trabalhando com seu marido, desde que eles se tornaram donos dos Spurs, em 1996. E então, chegou ao comando. “Somos orgulhosos do quão longe a organização chegou de lá para cá, e vou fazer o meu melhor para dar continuidade à força da franquia. Obviamente, Peter é um exemplo a seguir, mas temos valores importantes e nosso objetivo é manter o padrão de sucesso dos Spurs nos próximos anos”, disse a CEO na época.

O sucesso da parceria com os Holts é comprovado. Nesse período, os Spurs chegaram aos playoffs finais por 19 temporadas consecutivas e conquistaram cinco títulos da NBA, o último em 2014. A missão, agora, é voltar a vencer. “ A liderança da Julianna sempre estabeleceu padrões de qualidade elevados para a companhia”, disse Rick Pych, presidente de operações comerciais da SS&E.

Getty
Julianna Hawn Holt, nomeada CEO da Spurs Sports & Entertainment em março do ano passado
Julianna Hawn Holt, nomeada CEO da Spurs Sports & Entertainment em março do ano passado

Laurene Powell Jobs

No mês passado, a executiva bilionária Laurene Powell Jobs concordou em comprar 20% da Ted Leonsis’ Monumental Sports & Entertainment, empresa dona do Washington Wizards, da NBA, e do Washington Capitals, da NHL.

Sobrenome conhecido. Laurene é viúva do ex-co-fundador e CEO da Apple, empresária e persidente da Emerson Collective, organização sem fins lucrativos. Ela será a segunda maior acionista do grupo esportivo, atrás apenas do próprio Leonsis, presidente e CEO.

Divulgação
Laurene Powell Jobs concordou em comprar 20% da Ted Leonsis’ Monumental Sports & Entertainment
Laurene Powell Jobs concordou em comprar 20% da Ted Leonsis’ Monumental Sports & Entertainment

Martha Firestone Ford

Quando o empresário William Clay Ford, neto de Henry Ford (fundador da Ford Motors), faleceu, em 2014, muitos esperavam que o Detroit Lions, time da NFL que é propriedade da família desde 1963, passasse para as mãos de seu filho, William Clay Ford Jr, então diretor-executivo da montadora e vice-presidente do clube. Qual não foi a surpresa quando a esposa de William Ford e mãe de William Jr, Martha Firestone Ford, bateu o pé e disse que ela mesma, aos 89 anos, iria tocar a franquia?

Três anos depois, a "Dama de Ferro", conhecida por seu jeito durão e pouca paciência para fracassos, transformou um dos times mais perdedores do futebol americano em competitivo, mesmo sem experiência anterior no mundo do esporte. E com um estilo totalmemente diferente de seu falecido marido, que tinha os Lions mais como um hobby - e que viu a equipe só ganhar um jogo de playoff durante seus 50 anos no comando.

Martha, que é herdeira da gigantesca fabricante de pneus Firestone Tire and Rubber Co., e mãe de um filho e três filhas, resolveu que sua franquia precisava de uma "chacoalhada" para reagir. Demitiu o general manager e o presidente – somados, ambos acumulavam cerca de 35 anos de serviços à equipe – e investiu sua fortuna pessoal para reformular o elenco.

Ao mesmo tempo em que "chacoalhou" o time com decisões arrojadas, Martha – hoje com 92 anos – também decidiu manter um pouco do lado terno pelo qual seu falecido marido era conhecido. William Ford, por exemplo, escrevia à mão cartões de Natal para todos os jogadores do elenco, algo que sua esposa seguiu fazendo, demonstrando seu lado mais humano e menos feroz.

Gail Miller

Gail Miller assumiu 100% o comando dos negócios de seu marido, Larry H. Miller, quando ele faleceu em 2009. É presidente do Larry H. Miller Group of Companies, da Salt Lake Community e CEO do Utah Jazz. A empresária de 74 anos continuou seu legado de dignidade, respeito e afinidade por Salt Lake City. O casal comprou a franquia da NBA em 1986, na época por $ 24 milhões. Hoje, o time tem valor de mercado ed $ 830 milhões.

Getty
Gail Miller assumiu 100% o comando dos negócios de seu marido, Larry H. Miller
Gail Miller assumiu 100% o comando dos negócios de seu marido, Larry H. Miller

Jeanie Buss

Apontada como a sexta mulher mais poderosa do mundo do esporte em 2015 pela Forbes, Jeanie Buss seguiu os passos de Jerry Buss. Em vez de se divertir em baladas, aos 14 anos já acompanhava seu pai, dono do Los Angeles Strings, em jogos da World Team Tennis.

Antes mesmo que ela terminasse a faculdade, Jerry a nomeou presidente do Strings quando a World Team Tennis ressurgiu em 1981, após três anos parada. As lições paternas deram resultado e os Strings, campeões da última temporada da primeira versão da liga em 1978, reconquistaram o título.

Após o fim dos Strings em 1993, Jeanie Buss foi proprietária dos Los Angeles Blades, equipe de hóquei sobre patins que disputou a liga nacional até 1997. Àquela altura, seu pai já tinha transformado o Los Angeles Lakers no grande time da NBA dos anos 1980, mas que andava em baixa na década seguinte.

Seu papel dentro da franquia foi ganhando força e, em 1999, Jeanie se tornou vice-presidente executiva. No ano seguinte, os Lakers encerraram um jejum de 12 anos sem vencer a Liga, repetindo a dose nas duas temporadas seguintes e em 2009 e 2010.Com a morte de Jerry Buss em 2013, Jeanie assumiu a presidência dos Lakers.