Time inglês cria estratégia para atrair jogadoras: dar a elas a chance de virarem jornalistas

espnW.com.br

Divulgação
Derby County Ladies faz parceria com universidade local para atrair jogadoras
Derby County Ladies faz parceria com universidade local para atrair jogadoras

O Derby County está, atualmente, na terceira divisão do futebol feminino na Inglaterra. No entanto, mudanças recentes nos critérios abriram ao clube a oportunidade de se tornar semi-profissional na segunda divisão a partir da temporada 2018/2019. E para atrair mais jogadoras e chegar perto da elite com uma equipe de alto nível, as Ewe Rams, como são conhecidas, vão unir esporte e educação e dar às atletas a chance de estudar jornalismo e futebol.

Um dos critérios para integrar a segunda divisão é ter parceria com pelo uma instituição de ensino superior. E a Universidade de Derby – única do Reino Unido que oferece graduação em Jornalismo de Futebol – se uniu ao clube para oferecer três bolsas de estudo no valor de 27.750 libras. O programa foi lançado nesta terça-feira, com vídeos de estudantes mostrando os benefícios do curso.

A faculdade está em sua segunda edição, e as primeiras meninas a testarem a graduação já trabalharam com nomes de destaque no futebol como Gareth Southgate, Henry Winter, Nigel Clough e Jack Butland. Em agosto, elas viajaram à Holanda e passar três semanas cobrindo a Eurocopa Feminina, fazendo reportagens para jornais como o Daily Mirror.

O Derby County e a Universidade de Derby darão às vagas para as bolsas integrais a jogadoras que começarem o curso em 2018. As três felizardas vão precisar mostrar que têm habilidade para defender o time da instituição e defender o clubes inglês, bem como cumprir os critérios necessário para se matricularem na graduação.

“Um dos nossos obejtivos na Universidade é ajudar o máximos de mulheres jornalistas possível. Estamos nos esforçando para diminuir o desequilíbrio de gênero no relatórios esportivos. Pesquisas recentes indicam que apenas 1,8% das matérias sobre esporete nos jornais são assinadas por mulheres. Parcerias como essa podem mudar esse quadro, além de melhorar o futebol feminino na Universidade, já que teremos o suporte do clube local”, disse Peter Lansley, coordenador do curso.

“Este projeto é uma das nossas várias tentativas de chegarmos ao topo do futebol feminino. Ganharemos três jogadoras de alto padrão para reforçar nossa equipe. E temos a esperança de conseguir, dessa forma, atrair atletas da primeira divisão, que enxerguem as vantagens de ter a formação em Jornalismo de Futebol como uma oportunidade de desenvolverem uma carreira além dos gramados”, comentou Duncan Gibb, chefe-executivo do Derby County.