Secretária de Esportes em Recife, medalhista olímpica se aposenta: 'Hoje, sou atleta amadora'

Bianca Daga, do espnW.com.br

Andre´a Re^go Barros
Yane Marques trabalha desde janeiro como secretária-executiva de Esportes em Recife
Yane Marques trabalha desde janeiro como secretária-executiva de Esportes em Recife

Única medalhista olímpica do pentatlo na América Latina (bronze em Londres-2012), Yane Marques acorda às 4h20 e treina até 7h15. Mas esse começo de dia intenso não é mais pensando em competir em alto nível, e sim para se manter ativa. A pernambucana assumiu em janeiro o cargo de secretária-executiva de Esportes da Prefeitura do Recife e, na época, disse que isso não significava que ela estava se aposentando como atleta. Hoje, no entanto, o pensamento mudou.

 “Estou em destreinamento, participando do programa de transição de carreira do COB. Eu ainda tinha prentesão de competir. Sempre achamos que não vamos conseguir ficar sem. Mas hoje, treino por amor e sou uma atleta amadora. É difícil assumir para nós mesmos, mas na verdade, a palavra é essa (aposentadoria)”, disse ao espnW.

Yane corre 10km, nada com amigos e uma vez por semana anda a cavalo – três das provas que compõem o pentatlo moderno. O resto do dia passa na Prefeitura, às vezes saindo às 23h de lá. “Neste ano, não disputei nenhuma prova. Vai que de repente aparece alguma no ano que vem... mas profissionalmente, não tenho mais condições. Foi uma transição planejada. Estou muito envolvida na secretaria e quero me dedicar a essa nova missão. Não é minha cara fazer tudo mais ou menos.”

O ritmo de treinos começou a diminuir depois da 23ª colocação nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro-2016. Depois disso, ainda disputou o Campeonato Mundial Militar. E então entrou para o Programa de Carreira do Atleta (PCA), do Comitê Olímpico Brasileiro, e foi convidada para integrar a secretaria de Turismo, Esportes e Lazer de Recife, liderada por Ana Paula Vilaça.

Getty
Brasileira é a única medalhista olímpica de pentatlo da América Latina
Brasileira é a única medalhista olímpica de pentatlo da América Latina

“Fiquei surpresa porque apesar de ter somado 20 anos de trajetória como atleta e ter me formado em Educação Física, não tenho experiência como gestora. Aceitei, mas fui sincerra nesse sentido e disse que estava disposta a estudar para aprender. O prefeito se mostrou disposto a me ajudar e confia em mim. O começo foi tenso por eu não saber como funcionavam os processos. Mas fui aprendendo. Trabalho tentanto resgatar coisas importantes, na linha de unir esporte e educação.”

Em quase um ano como secretária-executiva, Yane Marques já colocou muitos projetos em prática: Jogos Escolares Municipais (que não eram disputados há pelo menos quatro anos) inclusivos, com disputas paralímpicas; projeto de esporte de rendimento em atletismo, halterofilismo paralímpico e vôlei de praia; 1ª edição dos Jogos Paralímpicos do Recife; Campeonato de Futebol de Várzea Recife Bom de Bola, com 386 times, do sub-11 aos veteranos; e Curso de Arbitragem para 50 árbitros.

“O Campeonato de Várzea já existia com outro nome e sem as oportunidades que agregamos. Agora, cinco atletas dos sub-17 são escolhidos e fazem prova para concorrer a 100% de bolsa em universidades. Além disso, olheiros de Sport, Náutico e Santa Cruz escolhem seis meninos e três meninas, que passam três meses no clubes, financiados pela prefeitura. Se o clubes gostarem, os jogadores vão para lá. Também vou nas comunidades, quadra e campos ajudar com minha parte técnica de atleta, dou palestras e aulas de natação.”

O ano de 2018 será de estudos. Yane Marques conclui o PCA em dezembro e, no ano que vem, vai fazer outros dois cursos do COB: Iniciação à Gestão Esportiva, com duração de dois meses, e Curso Avançado de Gestão Esportiva, esse mais longo. Seu trabalho à frente da secretaria de Esportes termina em 2020 e, se depender dela, emenda mais quatro anos.