Presidente da Uefa se diz contra árbitro de vídeo na Copa

ESPN.com.br com agência Gazeta Press
Getty
Aleksander Ceferin disse ser contra o uso de arbitragem de vídeo
Aleksander Ceferin disse ser contra o uso de arbitragem de vídeo


A discussão sobre o uso da arbitragem de vídeo (VAR) segue dando o que falar nos bastidores do futebol Mundial. Desta vez, quem falou do recurso foi o presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, que se mostrou contra a utilização na Copa do Mundo da Rússia, em 2018. Em entrevista concedida ao jornal italiano La Repubblica, o dirigente revelou que pesa seu lado “conservador” e espera que o árbitro seja realmente o juiz da partida, tomando as decisões finais sem interferência.

“Acredito que ainda é muito cedo para que se utilize isso em uma Copa do Mundo. Penso que sou um pouco conservador para esse momento. O árbitro deveria permanecer sendo o juiz do jogo, caso contrário é como se fosse um robô tomando decisões de um campo de futebol”, disse Ceferin.

A utilização do VAR no Mundial da Rússia ainda é uma incógnita. Apesar do apoio do presidente da Fifa, Gianni Infantino, e do manual para a utilização já estabelecido, o recurso ainda encontra resistência de dirigentes e deve receber um posicionamento final entre os meses de fevereiro em março pela International Board (IFAB), órgão que garante as leis do jogo.

Independente da utilização ou não na Copa do Mundo, o árbitro de vídeo segue sendo testado em algumas ligas europeias, como o campeonato alemão, italiano e português. As competições que ainda não foram definidas a instalação do recurso esbarram em dois motivos: a resistência dos dirigentes e a falta de estrutura para que todos os estádios e arenas possibilitem o recurso, como é o caso do Brasil.