EXCLUSIVO: Grêmio usou drone para espionar rivais durante o ano; veja flagra em treino do Lanús

Gabriela Moreira, para o ESPN.com.br
Godoy Cruz, Botafogo e Barcelona de Guayaquil; veja rivais na Libertadores espionados pelo Grêmio

O Grêmio que disputa a final da Libertadores, nesta quarta-feira, usou métodos de espionagem durante toda a temporada.

Apuração da ESPN revela que uma pessoa foi contratada pelo clube para filmar e fotografar treinos abertos e fechados de todos os adversários. Na Libertadores, no Brasileiro e na Copa do Brasil.

A reportagem completa com as ações do espião do Grêmio foi veiculada na edição desta segunda-feira no Bate-Bola Na Veia, e você assiste acima.

Diretor jurídico dá a versão do Grêmio sobre espião e ataca provas da ESPN: 'Pífias'

Com o auxílio de um drone ou usando câmeras escondidas em árvores, prédios e muros, a equipe de Renato Gaúcho teve acesso aos segredos e estratégias de todos os seus rivais: escalações, jogadas ensaiadas, esquemas táticos.

Tudo era de conhecimento da comissão técnica e também dos jogadores que assistiam às imagens feitas pelo espião antes dos confrontos.

Gabi Moreira explica apuração em espionagem do Grêmio e pede que seja informada de mais casos

A reportagem passou os últimos cinco meses monitorando os passos da pessoa contratada pelo Grêmio. Foram algumas tentativas de flagrar o trabalho. Contra o Flamengo e o Fluminense, nas vésperas das partidas do segundo turno, isso quase foi possível.

Até que na última sexta-feira flagramos o exato momento em que o espião se aproximava do CT do Lanús, adversário da final da Libertadores. Para proteção dele, sua identidade será preservada nesta reportagem.

Estávamos há dois dias acompanhando os movimentos dele na capital argentina. De camiseta e bermuda, ele desce do veículo alugado para a tarefa e coloca o drone no chão. Este ponto fica a cerca de 350 metros do CT do time argentino, na periferia de Buenos Aires.

Naquele dia, o time adversário da final fazia mais um treino fechado. O homem a serviço do Grêmio estava na cidade há mais de uma semana - hospedado próximo ao aeroporto, teve hotel, carro e passagens aéreas pagas pelo clube e já havia filmado outras atividades fechadas.

Renato Rodrigues dá ponto de vista do analista de desempenho em caso de espionagem

Por algumas vezes, tentamos aproximar, mas o espião ficou alerta. Até que ele coloca o drone para funcionar e volta para o carro de onde costuma controlar as filmagens dos treinos. Em dado momento, ele percebe que está sendo filmado e que vamos abordá-lo. Ele, então, acelera o carro. Mesmo na presença da polícia, que passava pelo local e estranhou a ação.

Após ser perseguido pela polícia, o espião resolve parar. Nossa equipe chega junto e ele nega que estivesse a serviço do Grêmio. O brasileiro, no entanto, confirma que colocou um drone para sobrevoar a região do CT. E não consegue explicar o motivo.

Calçade, sobre espionagem do Grêmio: 'Quem acha que está tudo bem, não reclame depois se seu senador meter a mão na bufunfa'

Produtor ESPN Brasil: Você trabalha para o Grêmio? 
Espião: Não trabalho, amigo. Só faço foto 

Produtor ESPN Brasil: E o drone? 
Espião: o drone não sei, você me fez perder. Eu faço foto, não posso fazer foto? 

Produtor ESPN Brasil: Mas foto com drone? 
Espião: Não pode?

Produtor ESPN Brasil: No treino do Lanús? E o drone? 
Espião: Não sei onde está, perdi.

Maurício Barros diz que espionagem do Grêmio fere o fair play: 'É algo eticamente condenável'

Dali, o espião foi levado para prestar esclarecimentos na Comisaría Seccional Segunda Lanús e lá ficou por duas horas. Os policiais colocaram em documento que ele espionava o treino do Lanús, fazendo filmagens com um drone. Ele foi liberado.

O treino fechado do Lanús está longe de ser o primeiro que o espião filmou. Pela Libertadores, esteve por pelo menos dez dias em Guayaquil, no Equador, espionando o Barcelona; o mesmo ocorreu com o Godoy Cruz, da Argentina - ambos foram filmados com drone.

O Palmeiras - não no Allianz Parque, onde não seria nada difícil para o espião, mas no Pacaembu - teve todo um treino fechado acompanhado. Já o Botafogo, pela Libertadores, teve todas as suas jogadas ensaiadas monitoradas pela equipe de Renato Gaúcho.

Mendes não crê que perdeu jogo por isso, mas pondera: 'Não sendo uma coisa aberta, não é livre para fazer'