Tite elogia solidez e diz que empate foi injusto para o Brasil

Agência Gazeta Press

Tite destaca escolas diferentes em confronto com Inglaterra e diz que Brasil mereceu a vitória

O empate da seleção brasileira por 0 a 0 com a Inglaterra, na noite desta terça-feira, em Wembley, foi injusto na visão do técnico Tite. Com a sua formação considerada ideal, o time canarinho teve o domínio das ações ofensivas do amistoso, mas não conseguiu criar grandes chances e furar o bloqueio britânico.

“Se tivesse uma equipe para vencer o jogo, ela seria o Brasil. Em número de oportunidades que ela criou durante o jogo. Com um número de oportunidades pequenas, com características de jogo diferente”, avaliou o treinador, em entrevista coletiva, após a partida.


“Um jogo mentalmente muito forte, com nível de concentração alto. Se você fica inquieto demais, começa a desestruturar a equipe, abrir o sistema defensivo e oportunizar a tudo o que a Inglaterra queria com o Vardy e com o Rashford: a velocidade do contra e a efetividade. Nesse aspecto mental, eu crio, mas o adversário vai ter de sofrer muito para criar”, acrescentou.

Com o domínio da posse de bola, o Brasil rondou a área inglesa no primeiro tempo, mas não assustou o goleiro Joe Hart. Na etapa complementar, a seleção teve chance de abrir o placar logo no primeiro lance, com Philippe Coutinho, mas o arqueiro britânico fez a defesa. No fim, Tite mandou Roberto Firmino e Willian a campo, além de Fernandinho, que carimbou a trave em chute de fora da área.

Tite compara apresentações das equipes e elogia: 'Inglaterra é mentalmente muito forte'

Apesar do empate diante de um time que estava desfalcado por oito jogadores, Tite exaltou a manutenção da organização tática do Brasil, que praticamente não sofreu sustos durante o embate e não deu chances para a Inglaterra contra-atacar.

“O latino é inquieto. Temos de aprender a trabalhar a bola de um lado, inverter, encontrar um espaço do lado contrário. Eu gostei que a equipe não se deixou levar”, elogiou.

“Na busca pelo gol constante, não atacou de qualquer jeito e se expôs de uma forma desequilibrada. Em termos ofensivos, a equipe teve uma atuação média, mas manteve a solidez. Se eles nos dificultam produzir, eles vão ter de sofrer também”, concluiu.

Dando sequência à preparação para a Copa do Mundo de 2018, o Brasil tem dois amistosos já confirmados para o ano que vem. Em 23 e 27 de março, a seleção enfrentará Rússia e Alemanha, em Moscou e Berlim, respectivamente. Serão os últimos dois testes antes da convocação, marcada para o início de maio.