Gênio precoce: conheça o candidato a melhor técnico da NBA

ESPN.com.br
Getty
Brad Stevens, técnico do Boston Celtics, durante jogo contra o New York Knicks
Brad Stevens, técnico do Boston Celtics, durante jogo contra o New York Knicks

Assumir uma franquia do tamanho do Boston Celtics não é para qualquer um. E quando Brad Stevens chegou ao comando do maior vencedor da NBA, prestes a completar 37 anos, em 2013, a missão parecia fadada ao fracasso. Afinal, um jovem técnico sem experiência anterior na liga era a aposta do time de Massachusetts para começar a trilhar um caminho de renovação após a era vitoriosa com Kevin Garnett, Paul Pierce, Ray Allen e Rajon Rondo.

Quatro temporadas depois, o pequeno gênio provou seu valor: hoje comanda a equipe de melhor campanha neste início de campeonato com 12 vitórias consecutivas e duas derrotas, praticamente com um elenco novo em folha após 2016/2017, a chegada de um All-Star, a lesão precoce de outro e a descoberta de potenciais jogadores.

Brad Stevens lidera o Boston Celtics com a melhor defesa da NBA - apenas 94 pontos cedidos em média por jogo - mesmo perdendo Isaiah Thomas, Jae Crowder e Avery Bradley (titulares na última campanha) e fez com que Kyrie Irving, criticado no Cleveland Cavaliers pela fraca marcação, fizesse corretamente seu papel.

Assista aos melhores lances da vitória dos Celtics sobre os Raptors por 95 a 94!

Hoje, o armador rouba praticamente duas bolas por partida, uma média que nunca teve nos tempos de Cavs. Além disso, o rookie Jayson Tatum e o segundo-anista Jaylen Brown estão mostrando ótimo desempenho ao lado dos calejados Irving, Marcus Smart e Al Horford, principalmente com a ausência de Gordon Hayward.

O ala vindo do Utah Jazz - pupilo do treinador na Universidade de Butler - quebrou o pé logo nos primeiros minutos de temporada e não volta nesta edição da liga.

Que fase! Kyrie Irving leva cotovelada de Aron Baynes e sai de jogo contra os Hornets com nariz sangrando

Os elogios ao trabalho de Brad Stevens não param de acontecer, e não é de agora. Nos playoffs de 2015, por exemplo, mesmo sendo "varrido" pelo favorito Cleveland na primeira rodada, ele fez de tudo para atrapalhar LeBron James, Kyrie Irving e companhia.

"Nós todos concordamos: 'Mano, esse cara está nos limitando. Ele está tornando difícil nossas ações... cada posse importa para ele'", disse o armador à ESPN. LeBron disse após o jogo 4 que tinha "o mais alto respeito" por Stevens e sua comissão.

A precocidade não é algo novo para Brad Stevens.

Seu amor pelo basquete começou cedo, quando o atual treinador dos Celtics tinha... seis anos. Segundo sua mãe, ele assistia a filmes de jogos nessa idade. Aos 8, seu pai construiu uma tabela em casa enquanto o filho estudava matemática.

Getty
Brad Stevens e Kyrie Irving: dupla de sucesso no Boston Celtics
Brad Stevens e Kyrie Irving: dupla de sucesso no Boston Celtics

A obsessão do técnico por defesas, por sinal, vinha ainda aos 20 e poucos anos, quando era diretor de operações de basquete em Butler: ele passou 14 horas de um dia cortando, categorizando e depois editando fitas com movimentos defensivos.

Na faculdade, Brad Stevens conheceu Tracy Wilhelmy, e o primeiro encontro de ambos foi um pouco fora dos padrões: ele dirigiu por uma hora e meia para assistir a um jogo de basquete do ensino médio. Estão casados até hoje.

Lances de LeBron, Harden, Kyrie e Giannis e recorde de Lonzo Ball são destaques no Top 10 da semana na NBA

Nascido em Indianapolis, ele tinha como ídolo Steve Alford e queria jogar uma Olimpíada. Adorava assistir às batalhas entre Celtics e Los Angeles Lakers nos anos 1980. "Eu ficava assistindo (Larry) Bird e Magic (Johnson) como todo mundo. Mas eu acho que deveria dizer que ficava assistindo Danny Ainge", brincou Stevens, citando o também ex-jogador de Boston e hoje presidente da franquia.

Em suma, seu chefe.

A maneira como passa suas informações aos atletas, sem alterar seu tom de voz, é reconhecida como exemplo por outros treinadores da NBA.

"Ele é inacreditável em como ele se comporta. Ele é verdadeiro e direto com seus jogadores, e nessa liga, essa é a maior coisa que eles respeitam - que você está confortável em sua própria pele", disse Gregg Popovich, do San Antonio Spurs.

Terror da linha dos 3! Veja como Paul George foi cestinha e liderou a vitória do Thunder sobre os Mavericks

"Quando alguma coisa acontece na quadra e um técnico balança a cabeça, faz caretas ou bate suas mãos, os caras veem isso e sentem isso. Mesmo se o jogador que errou tudo não ver, todos os caras do banco veem. Brad mantém a compostura não importa o que acontecer. Agora, você sabe que por dentro ele está se contorcendo, mas não é isso o que o resto de nós vê", afirmou Mike Brown, ex-Cavs.

E assim o jovem técnico "nerd" leva o Boston Celtics a uma campanha surpreendente e com surpresas prontas para acontecer novamente.