Tentando criar uma identidade, Force India procura novo nome

ESPN.com.br com agência Gazeta Press
Divulgação
Carro da Force India nesta temporada da Fórmula 1
Carro da Force India nesta temporada da Fórmula 1

Com uma boa campanha no Mundial de construtores e uma temporada consistente de seus pilotos, a Force India vai ganhando espaço nos bastidores da Fórmula 1 e começa a dar alguns passos em busca de um maior reconhecimento. Tratado como primeiro objetivo, a escuderia estuda uma mudança de nome e começa a trabalhar com algumas possibilidades já para o próximo ano.

Depois de um projeto inicial para se chamar Force One, que já tinha apoio de alguns patrocinadores do Reino Unido, o nome foi vetado pela nova empresa detentora dos direitos da F1, Liberty Media, que justificou uma semelhança muito grande com o chamado da categoria, principalmente na forma de abreviação.

A posição sobre o veto ao nome especulado, entretanto, ainda não é oficial, mas Bob Fernley ressaltou que a cúpula da Force India tem consciência das dificuldades que o novo nome terá para ser aceito.

Grande corrida, subida ao pódio e mensagem do filho no rádio: despedida de Massa abre o SportsCenter

“Teremos dificuldades de instaurar o nome que queremos (Force One). Estamos tratando direto com a FIA e a Liberty, para não haja nenhuma resistência e possamos garantir uma decisão consensual e construtiva”, disse o vice-diretor da equipe, em entrevista ao MotorSport.

Preferido, o nome de Force One não é a única alternativa para substituir Foce India. Fernley apontou que muitas possibilidades estão na mesa para serem definidas. “Claro que não trabalhamos com um único cenário. A decisão é muito mais difícil do que parece, porque temos que impor um nome definitivo para representar esse novo período da Fórmula 1, que será comandado pela Liberty Media“, comentou o diretor.

Ainda não existe uma definição sobre a mudança, mas a equipe tenta levar a ideia final à Comissão o quanto antes para tentar anunciar o novo nome este ano. A única diferença em relação ao atual deve ser no complemento, já que a diretoria deseja manter a palavra Force.

“Não estamos presos a manter isso, mas seria importante manter isso até para identificar que não se trata de uma nova equipe, mas uma que trocou o nome. A decisão final é dos acionistas e só podemos colocar as opções na mesa”, finalizou Bob Fernley.