Sem empolgar e com experiências, Brasil resolve no 1º tempo e vence o Japão em Lille

Tiago Leme, de Lille (FRA), para o ESPN.com.br
Mowa Press
Neymar comemora seu gol de pênalti que abriu o placar em Brasil x Japão
Neymar comemora seu gol de pênalti que abriu o placar em Brasil x Japão

O técnico Tite fez experiências, mudou várias peças da equipe e, diante de um adversário que demonstrou pouca força, a seleção brasileira venceu o Japão, por 3 a 1, nesta sexta-feira, no estádio Pierre Mauroy, em Lille, na França. Marcando os três gols no primeiro tempo, com Neymar, de pênalti, Marcelo e Gabriel Jesus, o Brasil ganhou sem empolgar no penúltimo amistoso de 2017, mas manteve os bons resultados sob o comando do treinador. No segundo tempo, Makino, de cabeça, descontou para o time asiático.

Em uso pela primeira vez em uma partida da seleção, o recurso do árbitro de vídeo (VAR) foi utilizado duas vezes. Primeiro, serviu para marcar um pênalti em Fernandinho convertido por Neymar, e depois flagrou um tapa do camisa dez brasileiro no japonês Sakai, o que rendeu um cartão amarelo.

Em um duelo que começou às 13 horas no horário francês, por causa do fuso horário, para ser transmitido à noite no Japão, o público de 16.922 torcedores não encheu nem metade da capacidade de 50 mil pessoas do estádio em Lille.

Mesmo com cinco mudanças entre os titulares, no início o Brasil não deixou de se apresentar como um conjunto sólido como vinha sendo nas eliminatórias sul-americanas com time. As novidades na escalação foram zagueiro Thiago Silva e Jemerson, o lateral direito Danilo e o meia Giuliano, e o volante Fernandinho, que atuou mais avançado no meio-campo. Diante de um adversário que ofereceu pouca resistência defensiva, a seleção resolveu a partida em pouco tempo.

Tite 'quebra protocolo' e defende Neymar, que se emociona e deixa coletiva chorando

Logo aos 9 minutos do primeiro tempo, Neymar abriu o placar em cobrança de pênalti, em lance marcado pelo árbitro de vídeo, que observou Fernandinho ser agarrado na área por Yoshida. Gol do craque do Paris Saint-Germain, que não marcava com a camisa do Brasil desde março contra o Paraguai, ou há quatro partidas, e festa dos torcedores brasileiros e também doa franceses nas arquibancadas em Lille.

Neymar ainda teve a chance de fazer o segundo dele aos 16 minutos, novamente de pênalti após Yamaguchi derrubar Gabriel Jesus na área, mas o atacante parou nas mãos do goleiro Kawashima. Mas o erro em nada mudou o panorama do jogo. Um minuto depois, em uma sobra de bola após cobrança de escanteio, o lateral esquerdo Marcelo encheu o pé direito em um chute de fora da área e fez um golaço: 2 a 0.

Getty
Marcelo e Neymar marcaram na vitória
Marcelo e Neymar marcaram na vitória

O único lance de perigo do Japão antes do intervalo foi uma cobrança de falta de Yoshida, que acertou o travessão. Enquanto isso, do outro lado o Brasil demonstrava velocidade para atacar, usava bem as laterais do campo e contava as jogadas individuais de Neymar para abrir espaços na defesa.

Aos 35 minutos, em um rápido contragolpe, o capitão do dia Willian abriu a bola na direita para Danilo, que cruzou rasteiro para Gabriel Jesus só empurrar para as redes e marcar o terceiro gol brasileiro.

A única alteração de Tite no intervalo foi a entrada do goleiro Cássio no lugar de Alisson. As outras trocas viriam mais tarde. Com o amistoso resolvido, Tite começou a fazer ainda mais testes para definir as últimas vagas na lista final da Copa do Mundo de 2018. Antes disso, o VAR entrou mais uma vez em ação, e o juiz francês Benoit Bastien deu cartão amarelo para Neymar, que deu um tapa em Sakai em um disputa de bola.

Neymar diz que problemas com Cavani e treinador do PSG são invenções: 'Vem me ferindo aos poucos'

Na sequência, entraram Alex Sandro e Diego Souza, para as saídas de Marcelo e Gabriel Jesus. Com um ritmo mais lento do Brasil na segunda etapa, os japoneses se arriscaram um pouco mais na frente e foram recompensados com um gol de cabeça aos 17 minutos, marcado pro Makino, que ganhou de Jemerson no alto após cobrança de escanteio.

Depois disso, Tite ainda fez mais mudanças, trocando Willian por Taison, Neymar por Douglas Costa e Giuliano por Renato Augusto. Os jogadores reservas bem que mostraram disposição e tentaram mostrar serviço para Tite, mas o confronto já não empolgava mais e esfriou.

Tite elogia árbitro de vídeo em amistoso da seleção: 'Gostei, premio e incentivo'

Antes do fim, a torcida japonesa até chegou a comemorar mais um gol, quando Sugimoto cabeceou para as redes aos 42 minutos, mas a arbitragem corretamente marcou impedimento. Ainda houve tempo para Alex Sandro perder um gol incrível, ao cabecear para fora, Com o placar final em 3 a 1 mesmo, valeu mais pela atuação brasileira no primeiro tempo e pelas observações de alguns atletas que o treinador pôde fazer.

Na próxima terça, feira, a seleção vai fazer o último amistoso do ano, contra a Inglaterra, às 18h (horário de Brasília). no estádio de Wembley, em Londres.

Gabriel Jesus diz que não percebeu Neymar diferente: 'Ele estando chateado, todos nós vamos estar'
  • Ficha técnica

 

EFE/Jean-Baptiste Autissier
Jogadores do Brasil comemoram gol na vitória sobre o Japão
Jogadores do Brasil comemoram gol na vitória sobre o Japão

FICHA TÉCNICA
BRASIL 3 x 1 JAPÃO

Local: Estádio Pierre-Mauroy, em Lille (FRA)
Data: 10 de novembro de 2017, sexta-feira
Horário: 10h (de Brasília)
Público: 16.922 pessoas
Árbitro: Benoit Bastien (FRA)
Assistentes: Hicham Zakrani e Frédéric Haquette (ambos FRA)
Árbitros de vídeo: Nicolas Rainville e Amaury Delerue (ambos FRA)
Cartões amarelos: Neymar (BRA); Yoshida, Haraguchi, Ideguchi (JAP)

GOLS
BRASIL: Neymar, aos 9, Marcelo, aos 17, e Gabriel Jesus, aos 35 minutos do primeiro tempo
JAPÃO: Makino, aos 18 minutos do segundo tempo

BRASIL: Alisson (Cássio); Danilo, Thiago Silva, Jemerson e Marcelo (Alex Sandro); Casemiro, Fernandinho, Giuliano (Renato Augusto), Willian (Taison) e Neymar (Douglas Costa); Gabriel Jesus (Diego Souza)
Técnico: Tite

JAPÃO: Kawashima, Hiroki Sakai, Yoshida, Makino e Nagatomo; Hasebe (Morioka), Yamaguchi e Ideguchi (Endo); Osako (Sugimoto), Haraguchi (Inui) e Kubo (Asano)
Técnico: Vahid Halilhodzic