Cruzeiro tenta tirar Mattos do Palmeiras, mas ouve 'não' de seu ex-dirigente

Gazeta Press
SERGIO BARZAGHI/Gazeta Press
Alexandre Mattos não voltará ao Cruzeiro
Alexandre Mattos não voltará ao Cruzeiro

O Cruzeiro passa por uma reformulação nos bastidores. Enquanto a equipe termina o Campeonato Brasileiro já com a tranquilidade de estar na Libertadores 2018, o ambiente interno da Toca da Raposa II é movimentado. Antes de contratar Marcelo Djian, os novos comandantes celestes tentaram Alexandre Mattos.

A nova diretoria, que assume no inicio do próximo ano, tentou a contratação do dirigente do Palmeiras, com conversas no mês passado. No entendimento de Itair Machado, vice-presidente de futebol da Raposa, Mattos era o nome ideal para comandar o futebol azul celeste. 

No entanto, o cartola negou a oferta. Mattos tem contrato com o Palmeiras até dezembro de 2018, além de ter carta branca no Verdão, com alto investimento da Crefisa e confiança do presidente Maurício Galiotte. O dirigente agradeceu o convite, mas decidiu permanecer em São Paulo para continuar sua trajetória em São Paulo.

A investida de Itair ocorreu já sabendo das mudanças no futebol do Cruzeiro. O primeiro a sair foi o vice-presidente Bruno Vicintin. Depois o ex-volante Tinga, que tinha papel importante, também anunciou que não permaneceria no clube. Em seguida, Klauss Câmara, atual diretor de futebol, foi comunicado que não ficaria para 2018.

Sem Mattos, o clube mineiro buscou Marcelo Djian. O ex-jogador de Corinthians, Cruzeiro e Atlético-MG foi convidado para ser o diretor de futebol em 2018 e vai acumular a função de gerente de futebol com a saída de Tinga. 

'O nosso objetivo é terminar da melhor forma possível no Brasileiro', diz zagueiro do Cruzeiro

A nova diretoria do Cruzeiro assume o clube em janeiro de 2018. Na presidência, Wagner Pires de Sá ganhou a eleição e convidou Itair Machado para ser o homem forte do futebol azul celeste. Juntos, eles fizeram algumas alterações no departamento de futebol.

Alexandre Mattos teve passagem vitoriosa pelo Cruzeiro. O dirigente esteve em Belo Horizonte entre 2012 e 2014, com dois títulos brasileiros. Em 2015 foi contratado pelo Palmeiras e também conseguiu se destacar, já com duas taças nacionais.