Sem oportunidades no Cruzeiro, ele saiu desconhecido do Brasil e hoje é artilheiro na Inglaterra

Vladimir Bianchini, do ESPN.com.br

Getty Images
Leo Bonatini é o artilheiro da Championship pelo Wolverhampton
Leo Bonatini é o artilheiro da Championship pelo Wolverhampton

Artilheiro da 2ª Segunda Divisão da Inglaterra com 10 gols marcados, Léo Bonatini é o principal destaque do Wolverhampton, líder da competição com 35 pontos ganhos. O jovem vive o sonho de conseguir o acesso para o torneio nacional mais valorizado do mundo.

Revelado no Cruzeiro e com passagens por Goiás, Estoril-POR e Al-Hilal-ARA, o jovem de 23 anos não se surpreendeu com o começo avassalador na Championship.

“Como atacante eu espero é fazer gols e poder ajudar minha equipe. Fico feliz de tudo isso estar acontecendo. Estamos em primeiro lugar e temos um grupo sólido e bastante unido. Os momentos que a gente vive dentro de campo mostram que valem a pena o sacrifício diário”, disse o jogador, ao ESPN.com.br.

“A Championship é um nível muito bom, é um campeonato muito rápido. Apesar de ser a segunda divisão do Inglês, a estrutura e o nível técnico são de Série A mesmo. Eu estou muito feliz de estar aqui e estou vivendo um momento bom dentro do clube e quero ficar. Me sinto bem no país e na equipe”, relatou.

A chance de ser emprestado para o clube da Inglaterra surgiu no meio deste ano quando o atacante fazia pré-temporada na Áustria pelo Al-Hilal, da Arábia Saudita.

“Eu fiquei interessado e acreditei que fosse uma oportunidade boa na minha carreira. Procurei trabalhar forte porque se ficasse ou saísse queria estar em forma para jogar”, garantiu.

O trabalho deu resultado quase imediatamente. Léo Bonatini já mostrou seu cartão de visitas no primeiro jogo.

“Depois de quatro dias que cheguei ao Wolverhampton eu estreei como titular. Ganhamos de 1 a 0 do Middlesbrough com um gol meu”, recordou.

Apesar de ser o único brasileiro dos Wolves, o atacante não tem problemas com idioma. Além de ser comandado pelo técnico português Nuno Espírito Santo (ex-Porto-POR e Valencia), ele tem seis colegas lusitanos no elenco.

“A adaptação tem sido muito boa ao país. Os companheiros me ajudaram muito nesse processo. Tudo é fruto do trabalho. Quando a gente quer alguma coisa e corre atrás elas acontecem. Eu estava preparado para isso”, garantiu.

Veja os melhores momentos da vitória nos pênaltis do Manchester City sobre o Wolverhampton na Copa da Liga Inglesa

  • Começo no Cruzeiro

Léo Bonatini começou no futsal do Colégio Magno, em Belo Horizonte. Após passar pelo Ferroviário, clube da capital mineira, ele foi para o Cruzeiro, aos 13 anos.

“Eu fiquei algumas semanas na Toca da Raposa e fui aprovado. Aprendi demais por lá porque comecei a jogar bola em alto nível ao lado de muitos bons jogadores. Foi o clube que me criou e me formou. Jogava torneios de alto nível. Consegui ter um destaque e fazia gols e ajudava a conquistar títulos. Sou muito grato ao Cruzeiro até hoje”, afirmou.

Vipcomm
Léo Bonatini foi emprestado ao Goiás
Léo Bonatini foi emprestado ao Goiás

“Eu vivi muitos momentos bons e sempre aproveitei como se fosse o último dia. O clube recebia muitos novos jogadores na base. A cada fim de temporada poderia mudar tudo”, recordou.

Uma das maiores promessas da base do time alviceleste, Léo Bonattini chegou a servir a seleção brasileira Sub-17, em 2011.

“Fomos campeões Sul-Americanos e terceiro lugar no Mundial. Foram experiências boas e a primeira vez que cheguei a jogar com estádio cheio. Tinha essa curiosidade de sentir o ambiente. Foi um sonho realizado e aprendi bastante”, relatou.

Aos 18 anos, ele foi para as categorias de base da Juventus, da Itália, e jogou algumas partidas pela Champions League Sub-19.

“Passei algumas dificuldades fora do Brasil. Foi bom ter chegado e poder conhece ruma cultura nova e estilo de jogo diferente. Procuro olhar com bons olhos. Eu treinava muito no profissional com grandes jogadores, que só via pela televisão”, disse.

Após seis meses na Velha Senhora, ele voltou ao Brasil e foi emprestado ao time profissional do Goiás, em 2013.

De volta ao Cruzeiro após quase um ano, ele não conseguiu ser promovido ao time de cima.

“Nunca cheguei a treinar no elenco profissional ou subir. Fiz treinos esporádicos lá em clima para completar treinos como acontecia com a maioria dos jogadores”, lamentou.

Veja os gols da vitória por 3 a 0 do Estoril sobre o Vitória de Setúbal
  • Recomeço em Portugal

Com a falta de chances no Cruzeiro, Léo Bonattini foi cedido por empréstimo ao Estoril (clube da 1ª Divisão de Portugal que pertencia à Traffic), em janeiro de 2015.

“Foi uma saída por cima porque fui muito bem e logo depois acabei comprado pelo Estoril. Foi uma saída boa para mim e para o clube que ganhou dinheiro”, declarou.

“Foi a melhor decisão da minha carreira. Portugal foi um lugar bom e fácil de me adaptar. Foi uma passagem muito boa e fui atrás dos meus objetivos. Fiz gols e apareci para o mercado do futebol. Fui muito feliz", contou.

Getty Images
Léo Bonatini fez 24 gols pelo Estoril
Léo Bonatini fez 24 gols pelo Estoril

Em duas temporadas atuando o time português, o atacante brasileiro fez 24 gols. Com isso, chamou atenção de vários clubes e chegou a ser especulado no Sporting, de Portugal. Mesmo assim, acertou com o Al-Hilal, da Arábia Saudita.

“Cheguei a conversar com algumas pessoas de lá [Sporting], mas proposta oficial nunca recebi. Neste ano fui muito feliz na Arábia. Foi um lugar que gostei muito de morar. No começo eu não sabia que as coisas fechavam para os horários a reza. Depois, fui me acostumando. É um povo muito colhedor e bem recebido”.

Após trocar o Al-Hilal pelo Wolverhampton, Léo Bonatini espera continuar nos holofotes do futebol europeu e conseguir uma vaga na Premier League na próxima temporada.

“As dificuldades são diárias para manter essa boa fase e a posição, mas cada dia a gente mata um leão. Meu objetivo hoje é ser comprado e ficar no clube”, projetou.