Jogadora de futebol de areia descobre indicação a melhor do mundo por redes sociais e critica descaso de confederação

Bianca Daga, do espnW.com.br

Arquivo pessoal
Letícia Villar está concorrendo ao prêmio de melhor do mundo no futebol de areia
Letícia Villar está concorrendo ao prêmio de melhor do mundo no futebol de areia

A seleção masculina de futebol de areia do Brasil é líder do ranking mundial e dona de 14 títulos mundiais. Enquanto isso, a modalidade ainda engatinha no feminino, com a realização do primeiro Campeonato Brasileiro neste ano. Mesmo assim, uma brasileira está entre as três finalistas do prêmio de melhor jogadora do mundo. Letícia Villar embarca nesta quinta-feira para Dubai, onde será realizada a festa de premiação, graças a uma empresa que decidiu ajudá-la. A Confederação de Beach Soccer do Brasil (CBSB) alegou que não tinha dinheiro para custear sua passagem.

“Não pode haver esse descaso. Já não temos calendário, seleção e aí, quando vou pedir o mínimo de apoio, dizem que não tem R$ 5 mil para pagar as passagens de ida e volta. E não se sensibilizaram nem em tentar buscar uma parceria, procurar alguém. Não foram solícitos. O presidente (Rodrigo Royo) disse que estava muito feliz com a minha indicação, mas não tinha como ajudar. E um outro dirigente falou que a Confederação não tinha interesse em me mandar para lá. Foi o que eu tive que ouvir”, contou a atleta ao espnW.

Rodrigo Royo, presidente da CBSB, explicou que, normalmente, a obrigação com os gastos é da federação internacional. “Entendo que a obrigação é da Beach Soccer. Eles não custearam as passagens e, normalmente, a Fifa custeia. Não temos o orçamento que gostaríamos para arcar com esse valor. Estamos no meio de uma competição e temos outros gastos. Quanto à atenção ao futebol de areia feminino, estamos lutando por um calendário e não temos seleção porque não tem competições internacionais”, explicou o cartola, que está em Dubai acompanhando a seleção masculina na disputa da Copa Intercontinental.

Arquivo pessoal
A brasileira foi eleita a melhor jogadora do Campeonato Brasileiro deste ano
A brasileira foi eleita a melhor jogadora do Campeonato Brasileiro deste ano

Letícia ficou sabendo que estava concorrendo como melhor do mundo na última sexta-feira, pelo Instagram da Beach Soccer Worldwide (braço da FIFA que comanda o futebol de areia). Sem apoio da CBSB, abriu uma vaquinha online nessa terça-feira, às 17h. Em poucas horas, já havia arrecado R$ 1000. No entanto, vai devolver o dinheiro para quem doou porque uma empresa norte-americana ficou sabendo de seu caso e pagou as passagens. A hospedagem será por conta dos organizadores do evento, e o visto será custeado pela academia onde ela treina e o restaurante onde faz suas refeições.

“Estou numa felicidade sem tamanho. O beach soccer feminino é novo no Brasil, começou nos anos 2000. Abracei o esporte num lugar em que vivemos na esperança de o telefone tocar dizendo que vai ter uma competição. Então, essa indicação é uma história de vida sendo reconhecida. Eu não esperava nem que esse prêmio um dia fosse existir, quanto mais ser indicada. As outras têm seleção, verba, centro de treinamento, fazem vários jogos e gols por ano. Eu estou sendo descrita como uma atleta regular que tem um chute forte. Estar lá, já é minha vitória.”

A mineira está com 24 anos e joga futebol de areia desde os 12, no Espírito Santo, onde a modalidade é valorizada e, frequentemente, recebe competições importantes. Letícia ganhou visibilidade na Europa no ano passado, quando foi convidada para disputar a primeira Champions League feminina pelo time italiano Catanzaro. Neste ano, também disputou o torneio, pelo Astra, da Hungria. Voltou em junho e, em julho, foi vice-campeã brasileira pelo Vila Nova e eleita a melhor jogadora do nacional.

Letícia treina todos os dias, em dois períodos. É formada em administração de empresas, trabalho com seu pai e cursa educação física, como caminho para o sonho de trabalhar com esporte. Essa será a primeira vez que a Beach Soccer Worldwide vai dar prêmio de melhor do mundo para as mulheres no futebol de areia. A premiação inédita terá outras duas finalistas, além da brasileira: a britânica Sarah Kempson e a loandesa Grytsje van den Berg. Letícia chega a Dubai no sábado, dia da cerimônia.