O que nenhum brasileiro fez e com intervalo recorde: a façanha que Renato Gaúcho está a 3 jogos de conseguir

ESPN.com.br

GettyImages
Renato Gaúcho pode entrar em uma seleta lista de campeões da Libertadores
Renato Gaúcho pode entrar em uma seleta lista de campeões da Libertadores

Renato Gaúcho está a exato três jogos de escrever seu nome na história da Copa Libertadores como jamais alguém no Brasil fez. Caso o Grêmio confirme a vaga para a final do torneio e seja o campeão, o técnico será o primeiro brasileiro a conquistar a taça tanto como jogador quanto como treinador.


O Grêmio fez o primeiro jogo da semifinal na noite da última quarta-feira e deixou a vaga para a decisão bem encaminhada. Derrotou o Barcelona, do Equador, por 3 a 0, na cidade de Guayaquil. Um empate em Porto Alegre, ou até mesmo derrota por dois gols de diferença na próxima quarta, classificarão o time gremista. 

A decisão está marcada para os dias 22 e 29 de novembro. Os dois jogos serão contra o vencedor do confronto argentino entre River Plate e Lanús.

Até hoje apenas sete homens conseguiram o feito de serem campeões como jogador e treinador na Libertadores. Foram cinco argentinos e dois uruguaios. A diferença deles para Renato Gaúcho será apenas uma: o tempo.

Se tudo der certo neste ano, o treinador gremista terá levado 34 anos para obter a façanha - ele foi campeão como jogador do Grêmio, em 1983. Vale lembrar que, como técnico, ele já tem um vice. Foi em 2008 com o Fluminense.

Barcelona supera Grêmio nos números, mas Hofman destaca eficiência do Grêmio
  • Os donos desse feito

O primeiro a conseguir o título da Libertadores como jogador e técnico foi o argentino Humberto Maschio.

Ele foi campeão da Libertadores jogando pelo Racing, em 1967. Depois voltou a vencer, mas como treinador, em 1973, com o Independiente. Foram apenas seis anos entre um feito e o outro.

O argentino Roberto Ferreiro também foi o segundo a conseguir. Foi bicampeão como jogador do Independiente em 1964 e 1965. Já em 1974 foi a vez de levantar a taça como treinador. Ou seja, nove anos após a última conquista como jogador.

O uruguaio Luis Cubillas é um dos mais laureados. Ganhou três vezes a Libertadores como jogador: Peñarol, em 1960 e 1961, e Nacional-URU, em 1971. Depois como treinador foi bicampeão com o Olimpia em 1979 e 1990. Entre a última conquista como jogador e a primeira como técnico houve um intervalo de oito anos.

O também uruguaio Juan Martín Mujica conseguiu ganhar como jogador em 1971 e como treinador em 1980. Com diferença de nove anos, ambos os títulos foram com o Nacional.

Os outros tês campeões foram argentinos e demoraram mais de dez anos para conseguir o feito. 

José Omar Pastoriza ganhou em 1972 como jogador e em 1984 como treinador do Independiente (12 anos). Nery Pumpido venceu jogando pelo River Plate em 1986 e depois comandando o Olimpia, em 2002, após  16 anos. Por fim, em um intervalo de 19 anos, Marcelo Gallardo ganhou jogando (1996) e treinando (2015) o River Plate.