Palmeiras à napolitana: equipe de Valentim começa a tomar forma com inspiração italiana

ESPN.com.br com agência Gazeta Press
SERGIO BARZAGHI/Gazeta Press
Alberto Valentim, atualmente técnico do Palmeiras
Alberto Valentim, atualmente técnico do Palmeiras

Afirmações de que um clube brasileiro teria nível para jogar a Liga dos Campeões já causaram polêmica no futebol brasileiro, mas o fato é que o Palmeiras se inspira em um time que disputa a Champions League e lidera o Campeonato Italiano. Sob o comando do interino Alberto Valentim, o Verdão tenta se aproximar do modelo de jogo do Napoli, sem centroavante fixo, com movimentação no trio ofensivo, meio-campistas versáteis e linhas próximas na marcação.

“Pelo tempo que o Alberto Valentim jogou na Itália, ele com certeza leva esse estilo italiano tático. Teve uma vez, em uma viagem, que ele comentou do Napoli, que ele acompanha bastante e tem uma intensidade de jogo muito alta”, contou o volante Bruno Henrique.

O Napoli é comandado pelo italiano Maurizio Sarri desde 2015. Logo em sua primeira temporada pelo clube celeste, o treinador fez ótima campanha, ameaçando o poder da Juventus e terminando como vice-campeão do Italiano 2015/16. Tudo isso com um time muito equilibrado, que jogava bonito e marcando 80 gols e levando só 32 em 38 jogos.

Bruno Henrique se coloca à disposição de Valentim e elogia: 'Tem um futuro muito grande pela frente'

Na temporada seguinte, os Partenopei ficaram na terceira colocação com o melhor ataque da Europa: 94 tentos marcados em 38 jogos. Já neste ano, o Napoli lidera o Calcio com 100% de aproveitamento após oito partidas.

O esquema de Sarri na equipe italiana se baseia em três pilares: ataque móvel, meio-campo versátil e compactação. Desde a saída de Higuaín, o ataque celeste é formado por Insigne, Mertens e Callejón, com o segundo fazendo a função de ‘falso 9’. Em seu primeiro jogo no comando do Palmeiras após a saída de Cuca, no último domingo, contra o Atlético-GO, Alberto Valentim sacou Deyverson da equipe titular e deslocou Willian para o centro do ataque, mas com Bigode alternando posição com Keno e Dudu, assim como no atual líder do Campeonato Italiano.

Já no meio-campo, o interino do Palmeiras promoveu o retorno de Bruno Henrique ao time titular para formar trio com Tchê Tchê e Moisés. Mesmo fora de casa, Valentim mostra a intenção de compor o setor com atletas que tenham poder de marcação, boa saída de bola e criatividade, mais uma vez como ocorre com o Napoli, que tem Hamsik como titular absoluto, e o brasileiro Allan, o ítalo-brasileiro Jorginho, além de Diawara e Zielinski se revezando na função.

Por fim, Alberto simula uma alteração no plano tático, fugindo das mudanças que trocam apenas jogadores, sem mudar o estilo de jogo da equipe. “Ele tem procurado aproximar mais as linhas. Tivemos pouco tempo. Ele quer compactar um pouco mais as linhas. O Napoli joga assim e é um bom exemplo”, completou Bruno Henrique.

Novas oportunidades, jogadores motivados e mais: Edu de Meneses traz tudo sobre o dia do Palmeiras

Curiosamente, quando Cuca anunciou que não renovaria seu contrato e deixou o Palmeiras prestes a conquistar o Campeonato Brasileiro, no final de 2016, chegou a mencionar que iria à Itália para estudar com Sarri no Napoli. O italiano é conhecido na Velha Bota pelas inúmeras jogadas ensaiadas, inclusive para cobranças de lateral, que ficaram famosas com o ex-comandante do Palmeiras.

Em evento de apresentação dos grupos do Campeonato Paulista de 2018 nesta terça-feira, o presidente Mauricio Galiotte abriu a possibilidade para que Alberto Valentim seja efetivado no comando técnico do Palmeiras para a próxima temporada. Restando 10 partidas para terminar a temporada, o ex-auxiliar técnico de Cuca precisará mostrar serviço no período para se garantir no cargo de treinador após a virada do ano.

Se Alberto não for efetivado, a principal opção da diretoria alviverde é Mano Menezes. O treinador do Cruzeiro, campeão da Copa do Brasil neste ano, tem contrato apenas até dezembro e poderia deixar o clube por conta de divergências com o futuro presidente Wágner Pires de Sá. No entanto, a equipe celeste antecipou as tratativas por uma renovação e aumentou a proposta salarial do treinador, que agora parece mais próximo de permanecer em Belo Horizonte.