‘Todas as regiões importam’, diz produtor de Call of Duty sobre esports

Roque Marques/ESPN Esports Brasil

Rappler
Mike Mejia também falou sobre a criação do novo CoD e a integração entre
Mike Mejia também falou sobre a criação do novo CoD e a integração entre

Call of Duty é um dos esports de maior sucesso dos últimos anos, mas sofre com a centralização de grandes torneios nos Estados Unidos. Expandir a competitividade para outras regiões é algo almejado por Mike Mejia, produtor sênior da franquia.

“Tudo que fazemos no nosso jogo é focado em todas as regiões. Todas as regiões importam” afirmou Mejia em entrevista ao ESPN Esports Brasil durante a Brasil Game Show, em São Paulo.

“Para nós, [CoD] é algo mundial. Estou feliz que o jogo vai atingir uma audiência maior e estou orgulhoso disso. Orgulhoso do que está para acontecer”, completou.

Na última Call of Duty World League Championship - o mundial da modalidade -, 18 dos 32 times eram norte-americanos, 11 europeus e 3 australianos. Não há vagas destinadas a outras regiões, como a América do Sul.

Questionado sobre essa carência, Mejia afirmou que a CWL está “apenas começando”.

“Ainda temos muitos lugares para ir. Estamos ansiosos para o que podemos trazer para os esports”, cravou.

Reprodução/Twitter
Destaque no Brasil, Virtue Gaming raramente tem chances de participar de torneios internacionais
Destaque no Brasil, Virtue Gaming raramente tem chances de participar de torneios internacionais

O produtor completou dizendo que não conhece os projetos da Major League Gaming (MLG) - principal organizadora de torneios no CoD -, quanto a expansão, mas acredita que ela acontecerá.

“Não sei quais os planos para outras regiões, mas acredito que começaremos a ver mais jogadores profissionais ao redor do mundo”, afirmou.

A nova temporada da CWL  ainda não teve detalhes revelados e Mejia não se aprofundou no que virá de novidade.

“O que posso falar é que estamos muito felizes com as novas coisas que adicionamos ao jogo. Temos uma nova ferramenta que vai mudar como as pessoas assistem esports. É uma câmera aérea. A qualquer momento, o narrador pode apertar um botão, a câmera vai para o céu e você pode ver a batalha em tempo real. Os narradores podem mostrar e prever os movimentos, os flancos. Vai ser ótimo. E o público vai conseguir entender melhor o que está acontecendo”, contou empolgado.

Esports encontram o esporte tradicional

Mejia também falou sobre a integração entre esports e os esportes tradicionais. Em CoD: WWII, Alejandro Villanueva e Le’Veon Bell, jogadores do Pittsburg Steelers, fizeram uma participação especial.

“Foi incrível, principalmente Le’Veon Bell, um dos melhores running backs da liga e uma pessoa sensacional. E também o Villanueva, que como foi da aeronáutica, foi muito legal trazê-lo de volta a isso no jogo. Ele nos ajudou dando dicas durante o trabalho, contou como eles falavam e como eles atiravam. Eles foram ótimos e não vejo a hora de ter mais caras como eles no jogo”, contou.

Reprodução/Twitter
Bell será um dos personagens em novo modo de CoD
Bell será um dos personagens em novo modo de CoD

Para o produtor, essa integração é muito interessante.

“Eu quero mais esportes integrando com esports. Vemos Overwatch e o que eles estão fazendo [com a Overwatch League], com times comprando lugares, acho isso ótimo. Os jogadores da NFL e do futebol estão vendo que não é só um grupo de caras jogando videogame. Há fãs, espectadores ao redor do mundo, jogadores profissionais e tudo isso” finalizou.

Expectativa para WWII

Novo título da franquia, Call of Duty: WWII ainda está em fase de beta, mas já anima os fãs. Retornando ao “boots on the ground” - botas no chão, em tradução livre -, o jogo tem feito sucesso mesmo antes do lançamento e as expectativas de Mejia estão lá em cima.

“As expectativas para nós no estúdio estão bem altas. Estamos muito felizes, animados e orgulhosos ao mesmo tempo pois dedicamos a nossa vida nos últimos três anos para esse jogo”, contou.

Mejia também destacou que os esports fazem parte do pensamento do estúdio na hora de desenvolver o jogo.

“Estamos de olho em tudo que acontece por agora na cultura dos esports e você não quer deixar aquilo para trás. Os esports são importantes para nós e temos até um ex-profissional [Raymond “Rambo” Lussie, ex-OpTiC e EnVyUs] como parte do nosso estúdio de desenvolvimento, ele é nosso designer. Estamos muito orgulhosos do que Ray está trazendo e estamos ansiosos para a próxima temporada competitiva”, completou.

Call of Duty: WII será lançado oficialmente em 3 de novembro para PC, Playstation 4 e Xbox One.