Suíça investiga dono do PSG e ex-secretário da Fifa por corrupção em Copas do Mundo

ESPN.com.br
VALERY HACHE/AFP/Getty Images
Nasser Al-Khelaifi, dono do PSG, durante sorteio da Champions
Nasser Al-Khelaifi, dono do PSG, durante sorteio da Champions

A Justiça da Suíça abriu investigação nesta quinta-feira contra o presidente do Paris Saint-Germain, Nasser Al-Khelaifi, e o ex-secretário geral da Fifa Jérôme Valcke por corrupção na negociação para os direitos de transmissão das Copas do Mundo de 2026 e 2030.

De acordo com a denúncia, "Jérôme Valcke é suspeito de ter aceitado vantagens indevidas em relação à concessão de direitos de mídia em certos países por um empresário no ramo dos direitos esportivos (eles não revelaram o nome do agente) em conexão com as Copas do Mundo de 2018, 2022, 2026 e 2030 e Nasser Al-Khelaífi para as Copas do Mundo de 2026 e 2030".

Gian: 'Estão depreciando, diminuindo e piorando as competições de seleções'

O catari Nasser Al-Khelaifi é o chefe-executivo do BeIN Media Group, um dos mais poderosos grupos de mídia da Europa e do Oriente Médio.

Eles são acusados de suborno privado, gestão desleal e falsificação de valores mobiliário.

Ex-braço direito de Joseph Blatter, Valcke foi levado para prestar esclarecimentos nesta quinta-feira, e propriedades foram alvos de busca em Espanha, França, Grécia e Itália. Ele já recebeu uma suspensão de dez anos da Fifa por corrupção.

Romário lança livro sobre corrupção no futebol brasileiro e diz que coisas absurdas serão reveladas: 'Agora já era'

O processo foi aberto em 20 de março, mas anunciado apenas nesta quinta, explicaram os promotores do caso.

Dono do PSG, Nasser Al-Khelaifi ganhou os holofotes nesta temporada ao contratar Neymar na maior transferência da história do futebol, 222 milhões de euros. O problema é que a gastança do clube francês está sendo investigada pela Uefa.