CBF vai vetar pedido de jogadores e técnicos por árbitro de vídeo e ameaça até com expulsão

Luciano Borges, para o ESPN.com.br
Divulgação - CBF
Heber Roberto Lopes durante teste com árbitro de vídeo
Heber Roberto Lopes durante teste com árbitro de vídeo

A partir do próximo dia 12, os clubes que disputam a Série A do Campeonato Brasileiro vão receber a visita de instrutores da Comissão de Arbitragem da CBF. Eles vão distribuir folhetos que explicam como vai funcionar o árbitro de vídeo.  Jogadores e treinadores serão avisados: eles estão proibidos de pedir ou exigir dos árbitros que acionem o recurso em lances que consideram errados.

“O jogador que pedir árbitro de vídeo para o árbitro vai receber cartão amarelo”, avisa o homem forte do apito na CBF, o coronel Marcos Marinho.

Os treinadores, então, terá tratamento mais severo: “Técnico que pressionar para usar o árbitro de vídeo receberá cartão vermelho”.

Calçade analisa adiantada de Diego Alves em pênalti e diz: 'Não adianta você descumprir a regra e querer consertar com árbitro de vídeo'

Marinho está em Águas de Lindoia, cidade do interior de São Paulo, onde 64 árbitros e assistentes estão passando por treinamento do árbitro de vídeo. Até dia 11, quatro turmas com 16 homens do apitos, vão aprender a trabalhar com operadores de vídeo e com o juiz dentro de campo.

Este recurso só será acionado se o árbitro de vídeo, na cabine, constatar erros em lances de impedimentos que resultem em gol, na marcação de faltas e penalidades máximas, cartões amarelos e vermelhos aplicados no atleta errado e toques de mão na bola. 

O aviso virá da cabine. O árbitro de campo não pode reiniciar a partida sem antes checar o lance. Já o árbitro de vídeo terá que ser rápido porque, uma vez reiniciada a partida, o juiz não poderá voltar atrás.

Tite defende árbitro de vídeo e vê até efeito educativo: 'Atleta vai pensar 20 vezes antes de fazer'

“Por isso, os árbitros de vídeo terão que ser rápidos. Entrosar com os operadores que vão recuperar as imagens será muito importante”, afirmou o coronel Marinho.

Até o “Árbitro de Vídeo” ser instalado oficialmente, ainda serão feitos, no mínimo, dois testes offline em duas rodadas diferentes, cobrindo os dez jogos disputados em cada uma.

Se tudo andar direito, a CBF vai colocar em prática do árbitro de vídeo - o recurso será utilizado em todas as partidas de cada rodada. 

Ju Cabral cita 'barbaridade' no caso do árbitro de vídeo: 'Foram reclamar que precisa, mas estão jogando contra eles mesmos'

Falta ainda a CBF fechar o acerto de fornecimento de imagens por parte da TV Globo. Além disso, a entidade está esperando as propostas de produtoras interessadas em montar a infraestrutura de cada sala de vídeo.

Uma das concorrentes está atuando no treinamento dos árbitros em Água de Lindoia.