Gol que tirou Corinthians da fila inspirou uma nova geração de Basílios

Rafael Valente, para o ESPN.com.br
Há 40 anos, Corinthians vencia Ponte Preta e encerrava jejum de quase 23 anos

Basílio é um nome carregado de significados. A palavra que deu origem a ele pode ser traduzida como rei ou realeza. Na igreja católica é usado por alguns santos. Na literatura está presente na obra de Eça de Queirós: "O Primo Basílio". Em alguns países é usado como sobrenome. Mas, entre tantos significados talvez há um inigualável, o valor que ele tem para a torcida corintiana.


Para os corintianos, Basílio é nome do libertador, do pé de anjo, do responsável por encerrar um sofrimento de quase 23 anos.

João Roberto Basílio ficou eternizado no futebol pelo sobrenome. No dia 13 de outubro de 1977 foi ele quem fez o gol que deu ao Corinthians a vitória sobre a Ponte Preta, no Morumbi lotado, e o título do Campeonato Paulista.

Basílio tinha 28 anos quando tirou o Corinthians da fila. Naquele ano somente cinco crianças foram registradas com esse nome no Estado de São Paulo, segundo a Arpen-SP (Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de SP).

Gazeta Press
Basílio comemora o gol que tirou o Corinthians da fila em 77
Basílio comemora o gol que tirou o Corinthians da fila em 77

Em 1978, houve um boom e 19 crianças foram registradas com o nome Basílio. Um crescimento de 380% em relação ao ano anterior.

Foi um ano atípico. Mas vale ressaltar que até 1981, ou seja, quatro anos após o título corintiano, o número de "Basílios" foi maior do que em 1977. Foram oito, em 1979; sete, em 1980; e novamente sete, em 1981.

No total, foram registrados 114 novos Basílios de 1977 até 2015, ano em que os dados da Arpen-SP terminam.