Blindados e atados: como Real Madrid garante seus astros

ESPN.com.br
Denis Doyle/Getty Images
Cristiano Ronaldo comemora gol do Real Madrid contra o APOEL na Champions
Cristiano Ronaldo comemora gol do Real Madrid contra o APOEL na Champions

Na última quarta-feira, o Real Madrid anunciou que chegou a um acordo com o lateral-esquerdo brasileiro, Marcelo, para sua renovação. O contrato, que vai até 30 de junho de 2022, tem uma multa rescisória de 200 milhões de euros (cerca de R$ 746 milhões), de acordo com o jornal espanhol Sport. Achou pouco? Isco, que também renovou nesta quinta-feira, deve chegar ao valor de 700 milhões de euros (R$ 2,611 bilhões).

Mas esse valor não chega perto da multa que do trio BBC (Bale, Benzema e Cristiano Ronaldo) apresenta: 1 bilhão de euros (cerca de R$ 3,730 bilhões) para cada um.


Essa tática de valores astronômicos já tem sido adotada há um bom tempo por Florentino Pérez, o presidente do Real Madrid.

Pérez acredita que essas quantias impossibilitam que times comandados por multimilionários roubem suas estrelas. Diferente de como o Paris Saint-Germain (PSG) fez com o Neymar no Barcelona. Para isso, o presidente merengue aproveitou as renovações de contratos de seus craques para inserir essas cláusulas com quantias exorbitantes.

O rival, aliás, ainda não conseguiu acertar o novo vínculo com Lionel Messi. O craque argentino teve seu nome bastante vinculado ao Manchester City na época da janela de transferências e, apesar do clube catalão já ter anunciado sua renovação, ainda não assinou o contrato.

Real Madrid de CR7 cola no Santos de Pelé! Veja os números mais que expressivos das equipes citadas

Veja abaixo a duração dos contratos com multas impagáveis do Real Madrid, de acordo com o jornal Sport: