Nada de suco, um ‘pouco esnobe’ e coma verde: como nutricionista de astro do MMA ‘ensinou’ campeã do US Open a comer

espnW.com.br

Getty
Sloane Stephens foi campeã do US Open no sábado
Sloane Stephens foi campeã do US Open no sábado

Sloane Stephens conquistou seu histórico título do US Open, no último sábado, jogando no simples feminino. Mas nos bastidores, a conquista foi mesmo em dupla. Outra mulher foi, no anonimato, responsável pela volta por cima da tenista norte-americana, que em agosto era 934ª colocada no ranking da WTA e, agora, está em 17º: Jennifer Nickle. 


A nutricionista trabalhou por anos como chef particular de Georges St-Pierre, um dos maiores nomes da história do MMA, e de dois anos e meio para cá faz parte do staff de Stephens. 

Enquanto a norte-americana derrotava Madison Keys, Nickle estava há quilômetros de distância, assistindo à final pela TV. E se o resto do mundo se pergunta como a tenista pode ter voltado à boa forma tão rápido, meses após operar o pé direito, a nutricionista sabe muito bem.

Jennifer Nickle integra o Precision Nutrition, programa de desenvolvimento culinário e nutricional em Toronto, que reúne os melhores nutricionistas do mundo. E foi ela quem ajudou Stephens sobre a melhor maneira de se alimentar durante sua recuperação. 

“Não são prescrições, nem algo forçado. Apenas ensinei Sloane como ingerir alimentos de forma saudável, com hábitos. Entender o processo, em vez de entrar no automático de ‘preciso me alimentar bem’”, disse a profissional ao espnW.

Campeã do US Open, Sloane Stephens tem reação impagável ao receber cheque de mais de R$ 11 milhões

O trabalho funciona em parceira. Nickle desenvolveu, junto com o diretor de nutrição esportiva do Precision Nutrition, um plano nutricional baseado nas preferências da tenista. Em uma segunda etapa, a nutricionista passa dez semanas por ano ‘na estrada’ com Stephens – as duas em que ela treina em Los Angeles, onde mora, e aquelas que antecedem os torneios mais importantes.

“Stephens já aprendeu muito sobre alimentação e sobre ela mesma, e isso tem tido efeitos muito positivos em sua vida. Agora, ela questiona o que não questionava antes. Quando ela se encaixa em uma filosofia, carrega para sempre. É muito determinada e é o que faz dela a excelente jogadora que é. Os lanches dela costumavam ser biscoitos e bolachas. Agora, são vegetais e amêndoas.”

Arquivo pessoal
Jennifer Nickle, nutricionista que cuida de Stephens
Jennifer Nickle, nutricionista que cuida de Stephens

Essas são as quatro lições que Nickle ensinou à campeã do US Open:

  • Corte os sucos

De imediato, tentamos cortar o suco de frutas da vida dela. As pessoas pensam que porque tem vitamina C, é bom. Mas não é. Sloane não bebe refrigerante, mas parar de beber suco foi um desafio para ela. Quando entendeu a relação entre açúcares naturais e fibras e porque você deveria comer uma maça em vez de beber suco de maçã, ela conseguiu largar o suco (porque suco contém só açúcar, mas não tem nenhuma fibra).

  • Quantidade importa

Especialmente durante sua recuperação, nos concentramos em alimentação com muitos vegetais e alimentos ricos em antioxidantes e proteínas de qualidade, além de controlar o tamanho das porções. Quanto é uma porção de arroz? Coloque na palma da sua mão e esse será o tamanho da sua porção. É difícil para as pessoas entenderem, principalmente nos Estados Unidos, onde os restaurantes servem pratos com 150 gramas de carboidrato, sendo que só precisamos de 30. Ensinei a Stephens como entender o tamanho de suas porções na prática.

  • Seja um pouco 'esnobe'

Ensinamos Sloane a ler os rótulos e enteder que alimentos embalados são o último recurso. Isso não quer dizer que dê para classificar qualquer comida como boa ou ruim. Há graus variados de melhor ou pior. Açúcar e alimentos processados é, claramente, o que está nos matando. Então, educamos ela sobre o que é um alimento integral (que não foi processado e está livre de aditivos e ingredientes artificiais) e como é importante que ela o consuma o máximo possível.

  • Coma verde

O estilo de vida e a agenda apertada de viagens de uma jogadora de tênis são insanos. Você não tem escolha que não seja comer em restaurante cinco ou sete dias por semana. Seja onde estiver, qual for a situação, se puder fazer a melhor escolha, faça. Se está em um restaurante sem muitas opções saudáveis, adicione uma porção extra de vegetais à sua refeição. Peça espinafre cozido no vapor. Recomendamos, pelo menos, seis porções de vegetais por dia, e a maioria das pessoas não come nem dois.