Fim da dinastia, carrascos e o herdeiro do trono da defesa: o resumo épico da semana 1

ESPN.com.br
  • A semana 1 da NFL terminou de forma épica, com o field goal de Younghoe Koo sendo bloqueado pelas pontas dos dedos de Shelby Harris, e, pouco antes Adrian Peterson havia "feito bico" na derrota dos Saints, mas muitas outras coisas aconteceram nas primeiras 15 partidas da temporada.

    O New England Patriots, apontado como favorito a vencer rigorosamente todos os jogos, perdeu logo de cara, um novo membro da família Watt debutou com brilhantismo, teve muito quarterback apanhando mais do que devia, e errando também.

    Confira, também em clima de épico, os destaques da rodada:

  • Não chegou nem à segunda semana da temporada a previsão de uma temporada perfeita do New England Patriots. O Kansas City Chiefs colocou água no chopp dos atuais campeões, que comemoraram o novo banner de campeão no estádio antes da partida.

    Bill Belichick não deve ter gostado de nada do que viu em campo. No ataque, Tom Brady demonstrou momentos de falta de sintonia, e a falta de Julian Edelman ficou bem clara. Na defesa, a pouca pressão sobre o quarterback adversário acabou comprometendo também o trabalho da secundária. Será que o reinado dos Patriots se encerrou?


  • Não foi a primeira vez que o Kansas City Chiefs abalou o ambiente em Foxboro. Em 2014, até a titularidade de Tom Brady foi questionada após um atropelo da equipe de Cairo Santos.

    Desta vez, os “assassinos” foram Alex Smith e Kareem Hunt. O QB conectou passes de 75 e 78 jardas para touchdowns, terminando o jogo com 368 jardas lançadas em 4 TDs. Já o running back calouro, que começou a carreira sofrendo um fumble, visitou a endzone três vezes, batendo recordes com suas 256 jardas totais.


  • Houston vivia um domingo especial, com uma justa e bela homenagem de J.J. Watt à cidade que foi atingida por um furacão nos últimos dias. Mas quando a bola voou na partida contra Jacksonville Jaguars, as coisas ficaram bem ruins para os Texans.

    O atropelo da equipe da Flórida é bem explicada pelas estatísticas. Eleito quarterback titular, Tom Savage deixou o jogo no intervalo com apenas 7 de 13 passes completados para 62 jardas. DeShaun Watson entrou em seu lugar e foi 12 de23, com 102 jardas, um TD e uma interceptação.

    Em comum? Eles praticamente não foram protegidos. Os Jaguars conseguiram nada menos que 10 sacks, sendo seis em Savage, e quatro só de Calais Campbell. Não tinha mesmo como vencer.

    Mas não foi apenas em Houston que teve gente apanhando muito. Russell Wilson conseguiu ter apenas 48 snaps ofensivos com os Seahawks, e foi pressionado na maioria deles. Nos Giants, Eli também teve que se virar para não comer grama


  • Se J.J. Watt não teve um dia para ser lembrado, seu irmão mais novo já começou a carreira colocando seu nome na história. T.J. Watt, dos Steelers, se juntou a Charles Glaze e Tommy Haynes como únicos a terem dois sacks e uma interceptação em um jogo de estreia na NFL.

    Se J.J. foi eleito três vezes como o melhor defensor de uma temporada da liga, parece bastante claro que o dom defensivo corre nas veias da família Watt, para desespero dos ataques rivais.


  • A indecisão sobre o quarterback dos Texans era esperada, mas outros jogadores titulares da posição fizeram feio na primeira semana. Andy Dalton, dos Bengals, foi de longe o pior deles. Por mais que tenha sofrido cinco sacks contra os Ravens, não é aceitável lançar quatro interceptações e deixar seu time zerado contra um rival.

    Mas Scott Tolzien merece uma menção honrosa (ou horrorosa). Titular dos Colts enquanto Andrew Luck não se recupera – e não há data para seu retorno – ele lançou duas “pick-6”, a interceptação retornada para TD, na vexatória derrota para os Rams. A primeira delas aconteceu logo no primeiro passe do QB no jogo.


  • Se Jon Snow não sabe de nada, Ben Roethlisberger sabe ao menos como é ganhar do Cleveland Browns. A equipe de Ohio mostrou ser melhor que a do ano passado, e os Steelers não fizeram um grande jogo, com uma atuação decepcionante de Le’Veon Bell. Mas, de novo, deu Pittsburgh.

    Esta foi a 11ª vitória de Big Ben jogando em Cleveland, mais do que qualquer quarterback dos Browns conseguiu desde que a franquia voltou a existir, em 1999.

    A briga pela AFC Norte, mais uma vez, não deve sair de Steelers e Ravens.