Ele é 'xodó' de Jair Ventura, tem multa rescisória de R$ 123 milhões e é monitorado pelo Barcelona. E tem só 19 anos

Vladimir Bianchini, do ESPN.com.br

Andre Mourao/FOTOFC/Gazeta Press
Matheus Fernandes já fez 31 partidas pelo Botafogo em 2017
Matheus Fernandes já fez 31 partidas pelo Botafogo em 2017

Em um elenco recheado de jogadores experientes, um dos principais destaques do Botafogo na atual temporada tem apenas 19 anos. É o volante Matheus Fernandes, que em poucos meses virou titular do time alvinegro.

"Aconteceu tudo rápido, mas não posso entrar no embalo e atropelar as coisas. Tem que ir com calma. Procuro estar sempre preparado porque manter o nível é ainda mais difícil", disse, ao ESPN.com.br.

A maturidade demonstrada dentro e fora de campo impressionou até mesmo o treinador Jair Ventura. 

"Menino que joga como veterano. Sou fã desse garoto. Há muitos anos que trabalho no Botafogo e o acompanho. Fico feliz de estar lançando um dos grandes jogadores do futebol brasileiro. Esse garoto, já falei até com a minha diretoria para amarrar, porque é nível Europa. Joga demais. Frio, muito técnico, boa estatura, passada larga, pisa, finaliza. É nosso atleta com maior número de desarmes no ano. Grande jogador", falou o técnico.

A diretoria do Botafogo não perdeu tempo. Fechou um contrato até 2020 com o jogador e estipulou uma multa rescisória de R$ 100 milhões para o Brasil e 40 milhões  de dólares (cerca de R$ 123 milhões) para o exterior.

Um dos clubes interessados no futebol de Matheus Fernandes é o Barcelona, que mandou um olheiro no ano passado para monitorá-lo.

"Eles me procuraram e disseram que era bom jogador quando me viram na seleção brasileira Sub-20. Falaram para eu manter o nível e não deixar cair. Foi uma pequena sondagem, mas não falaram nada de contratação. Disseram que estão de olho. Isso tudo antes de subir ao profissional. É uma motivação extra", falou.

Matheus Fernandes explica sua leitura defensiva: ‘Sempre antecipar a jogada’

  • Começo em casa

Natural de Itaboraí-RJ, Matheus Fernandes tem o futebol no sangue. Seu pai, Reinaldo, quase foi jogador e virou seu maior incentivador.

“Ele jogou na base do América-RJ e estava no Sub-20 do Noroeste, de Bauru. Quando estava para se profissionalizar, meu avô ligou dizendo que eu tinha nascido. Meu pai largou o futebol e voltou para casa para cuidar da família”, contou.

Mesmo não seguindo na carreira, Reinaldo conseguiu realizar seu sonho por meio do filho.

“Eu queria jogar bola e meu pai falou: ‘É isso que você quer? Você vai ter que largar muita coisa para conseguir isso. É uma vida muito difícil’. Eu disse que era aquilo mesmo que queria”, afirmou Matheus.

“Nisso, meu pai começou a me treinar sozinho em um campo perto de casa para não ficar parado. Por causa disso, começaram a chegar muitas crianças para jogar com a gente e virou uma escolinha”, relatou.

arquivo pessoal
Matheus Fernandes (ao centro) é cercado pelos pais
Matheus Fernandes (ao centro) é cercado pelos pais

Aos oito anos, Matheus Fernandes foi para a base do Profut-RJ e depois tentou a sorte em outros clubes.

“Fiz testes no Fluminense, mas me machuquei e fui dispensado. Joguei um pouco no Nova Iguaçu-RJ e o treinador disse que eu era muito novo e me mandou voltar no ano que vem”, recordou.

“Eu já tinha até desencanado do futebol quando um amigo meu falou que o Bangu precisava de volante. Meu pai falou que as oportunidades não vinham somente nos times grandes. Disse para eu pensar e se não desse certo eu iria procurar outra coisa”, disse. 

O volante fez apenas cinco partidas no time de Moça Bonita antes de ser chamado para a base do Botafogo, aos 14 anos. 

Vitor Silva/SSPress/Botafogo
Matheus em ação pelo Botafogo
Matheus em ação pelo Botafogo

“Fui finalista da Copa do Brasil Sub-17 quando perdemos a final para o Vitória. No time Sub-20 fui campeão do Brasileiro ano passado. Fui convocado para a seleção brasileira algumas vezes e disputei uns torneios nos Estados Unidos, México e Chile”, afirmou.

Ano passado, o volante teve a primeira experiência entre os profissionais.

“Eu subi junto com o [atacante] Ribamar. A gente fez uns treinos e ele se destacou e seguiu. Eu fiquei na transição, treinando no time de cima e jogando na base”, explicou.

Além disso, uma palestra do técnico Jair Ventura para os juniores fez o jovem querer se dedicar ainda mais.

 “Ele falou como era o profissional e como avaliava os atletas para subir. O Jair disse para aproveitar as oportunidades e que precisa estar preparado. Fiquei com isso na cabeça”, garantiu.

Roger vai bem em comparação com ‘badalados’; Hofman analisa como coletivo do Botafogo o ajuda

  • Destaque entre os veteranos

Não demorou muito para Matheus ser efetivado ao time principal e estrear contra a Desportiva Ferroviária-ES, em um amistoso na pré-temporada de 2017. Fã do volante Airton, ele recebeu muitos conselhos de Bruno Silva, Roger e Montillo, que saiu do clube no meio deste ano.

“É um ano de aprendizado e temos vários jogadores experientes que nos passam as experiências de vida deles. Nós estamos muito fechados e nos ajudamos o tempo todo. Isso me deixa bem mais tranquilo porque não tem aquilo de apontar o dedo: ‘Ah, você errou e perdemos por sua culpa’. Quando perde é todo mundo. Isso me deixa mais leve para mostrar meu futebol. Se eu errar não vai ninguém me culpar”, analisou. 

Com o bom desempenho, Matheus Fernandes ganhou mais oportunidades no Campeonato Carioca e nos playoffs da Copa Libertadores da América.

Vitor Silva/SSPress/Botafogo
Matheus tem 19 anos
Matheus tem 19 anos

“Alguns jogadores estavam machucados e apareci de surpresa no time titular no jogo de volta contra o Olímpia-PAR fora de casa. Foi bem legal e eu não esperava. Foi uma sensação única porque era minha primeira partida com estádio cheio com torcida contra. Isso me marcou muito”, contou.

O Botafogo conseguiu a classificação para a fase de grupos nos pênaltis. Mesmo com uma chave complicada, com Estudiantes-ARG, Barcelona de Guayaquil-EQU e Atlético Nacional-COL (atual campeão da competição), o time carioca se garantiu nas oitavas.

 “A gente sempre falou que ninguém acreditava que o Botafogo iria chegar aonde chegou. Agora não adianta pensar: ‘Chegou por chegar’. Não! Chegou porque tem qualidade e tem que ganhar. Como nosso grupo é forte a gente acredita muito. Temos total chance de ganhar alguma coisa esse ano”, bradou.

Ao vivo, Roger 'invade' o Resenha ESPN, tira onda com Silas e se emociona com história de filha: 'Mudou muita coisa'

Após eliminar o Nacional-URU no mata-mata, o adversário nas quartas será o Grêmio. O primeiro jogo do duelo será no Engenhão, quarta-feira, às 21h45 (de Brasília).

“A luta pela Libertadores está firme e forte para gente. Foco total nesse confronto”, finalizou.