O caminho dos milhões: por que McGregor tem muito mais do que boxe a aprender com Mayweather

Thiago Cara, do ESPN.com.br
Veja como foi a histórica vitória de Mayweather sobre McGregor em 50 fotos

“Eu prefiro que ele volte a lutar MMA”, respondeu Dana White, no último sábado, sobre o que esperava do futuro de Conor McGregor depois da superluta de boxe que protagonizou com Floyd Mayweather. 

O norte-americano venceu no que foi, para muitos, uma aula na T-Mobile Arena, em Las Vegas, mas McGregor, que nunca havia lutado boxe profissionalmente, resistiu até o décimo round, diante daquele que é um dos maiores nomes da história de seu esporte. Talvez, os ensinamentos que serão mais úteis ao irlandês, de 29 anos, estejam muito mais fora do ringue, do que necessariamente dentro.

As palavras do presidente do UFC dizem muito sobre o novo status de McGregor. Dana sempre foi conhecido por mandar e desmandar no principal evento de MMA do mundo. Os lutadores costumam seguir o chefe e, não raro, alguns acabam punidos por desafiar alguma determinação da companhia.

Difícil imaginar que, com McGregor, voltará a ser assim. Depois da atuação que sábado, o atual campeão dos leves do UFC ganhou tamanho para dar o próximo passo que bem entender, independentemente de qualquer promotor. Algo que Mayweather é tão bom quanto em esquivas, pêndulos e contra-ataques.

Em indústria acostumada a explorar os lutadores, como o boxe, Mayweather soube mudar o paradigma. Não por acaso sua bolsa garantida para o combate do último sábado era de 100 milhões de dólares (R$ 316 milhões na cotação atual) – mais, por exemplo, do que qualquer atleta do UFC em toda a carreira... 

Mesmo depois de boa atuação, presidente do UFC revela que prefere que McGregor não siga no boxe: 'Não é o que ele faz'

O valor, porém, ainda será maior, já que o multicampeão ainda receberá porcentagens referentes, por exemplo, às vendas de pay-per-view do evento – assim, aliás, como McGregor, que teve bolsa garantida de 30 milhões de dólares (R$ 95 milhões), mas com ganho total estimado na casa dos US$ 100 milhões.

“Floyd quebrou barreiras. Ninguém nunca ouviu falar de um boxeador que se autopromova, especialmente um boxeador negro, que basicamente controla o dinheiro. Controla quem recebe isso, quem recebe aquilo, e dita seus termos”, opina Errol Spence Jr., campeão do peso meio-médio da Federação Internacional de Boxe (IBF), em entrevista ao site “The Undefeated”, da ESPN.

Mayweather conta que tentou apostar dinheiro na própria luta, mas foi impedido

Repetir esses passos de Mayweather, talvez, seja o maior desafio para McGregor. Desde 2013 no UFC, o irlandês fez nove lutas, com ganho em salários de apenas 9,54 milhões de dólares (R$ 30 milhões na cotação atual). Em seu combate mais lucrativo, no UFC 205, US$ 3,59 milhões (R$ 11,3 milhões) – sendo que foram apenas US$ 40 mil (R$ 126 mil) referentes a patrocínio, em contrato fechado com a Reebok.

Errol Spence Jr., por exemplo, é também um dos principais nomes do boxe da atualidade, nunca perdeu em suas 22 lutas profissionais e não esconde que Mayweather é um exemplo – fora dos ringues.

McGregror reclama que juiz terminou a luta cedo, mas elogia Mayweather

“Eu vejo como ele lida com seus negócios, é seu próprio chefe, não deixa os empresários ditarem o que ele faz. É por isso que muitos promotores e empresários não gostam de Floyd”, disse o lutador.

A fortuna de Mayweather não deixa dúvidas do imenso sucesso que teve, não apenas nos ringues, mas também nos negócios do boxe. Errol Spence Jr. é um exemplo do legado que, agora aposentado, deixou para uma geração de lutadores, que podem ser mais independentes – algo ainda distante no UFC.

McGregor foi mais um que tentou, e fracassou, ao desafiar o reinado de Mayweather; veja crônica da superluta

“Agora os boxeadores estão começando a pensar coisas como, ‘eu deveria ficar com a maior parte, eu sou o lutador’, estão dizendo aos promotores, ‘eu devo ganhar mais dinheiro, você deveria ficar com uma porcentagem menor. Porque você fica com a (arrecadação de) bilheteria? Sou eu que estou vendendo’. Então os lutadores estão pensandos, todos estão acordando”, opinou.

Se a luta de sábado acordou McGregor? Só a próxima negociação com o UFC irá dizer. Mas, se o irlandês aprendeu alguma coisa com Mayweather,  a resposta definitiva será sua – e não de Dana White.