Explicações de Leco e Pinotti não convencem conselheiros do São Paulo

ESPN.com.br com agência Gazeta Press
Djalma Vassão/Gazeta Press
Leco admitiu que Ceni fora demitido em razão dos maus resultados
Leco admitiu que Ceni fora demitido em razão dos maus resultados

Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, presidente do São Paulo, e Vinicius Pinotti, diretor executivo de futebol do clube, tiveram de dar explicações aos membros do Conselho Deliberativo tricolor na noite dessa segunda-feira. Após quase duas horas de uma verdadeira sabatina, os dirigentes não conseguiram amenizar a pressão interna.

Os conselheiros tentaram entender melhor os últimos casos mais polêmicos da equipe, como a demissão de Rogério Ceni, a multa de R$ 5 milhões a ser paga ao ex-goleiro, o fato de Maicosuel ter sido encaminhado ao departamento médico logo após assinar contrato e o afastamento de Cícero.

O problema é que Leco e Pinotti deixaram a reunião tão ou mais pressionados do que já estavam. Ambos refutaram que haja uma crise administrativa, defenderam as escolhas dos nomes escolhidos para se juntar à gestão e não deram respostas conclusivas ou convincentes sobre temas mais específicos do grupo de atletas.

Rogério Ceni, diretores remunerados, questão financeira e mais; Nicola traz informações de reunião no São Paulo

Sobre Rogério Ceni, Vinicius Pinotti defendeu que a interrupção do trabalho era o melhor caminho para preservar a imagem do ídolo e para mudar o rumo das coisas. Já sobre a multa a ser paga por conta dessa decisão, Leco justificou que foi uma exigência do ex-técnico, que inclusive já topou receber de forma parcelada.

A explicação para o afastamento de Cícero foi resumida apenas em uma divergência com outros jogadores, enquanto ambos os dirigentes refutaram falha do departamento médico durante as negociações com Maicosuel. O meia chegou a estrear logo após ser apresentado, mas, em seguida, foi diagnosticado com um desequilíbrio muscular e passou a frequentar apenas o DM.


Como as respostas não fugiram daquilo que já fora dito pela direção são-paulina há tempos, no momento de cada caso, inclusive de forma pública, via imprensa, os conselheiros se mostraram incomodados. Leco e Pinotti não convenceram a maior parte dos membros do órgão, que ainda destacaram o fato da dupla ter tentado passar a impressão de que o clube não passa por nenhum tipo de problema mais grave.