Antonio Conte rebate Wenger: 'Não preciso da simpatia de ninguém'

ESPN.com.br

Getty Images
Antonio Conte conta com poucas opções à disposição do Chelsea nesta temporada
Antonio Conte conta com poucas opções à disposição do Chelsea nesta temporada

Mesmo com as novas contratações, o Chelsea ainda enfrenta problemas para fechar o elenco com tranquilidade, contando com poucas opções para a próxima temporada da Premier League.

No último fim de semana, os Blues relacionaram apenas 24 jogadores para a partida contra o Arsenal, válida pela final da Supercopa da Inglaterra. Enquanto isso, o rival inglês contava com 41 atletas à disposição.

Não poupando críticas sobre a política controversa de contratações do atual campeão inglês, o técnico dos Gunners, Arsène Wenger, disparou contra Antonio Conte.

“Eu tenho simpatia por ele”, disse o comandante. “Mas se eu sinto pena do Chelsea como se eles não tivessem problemas? Não sinto!” exclamou.

“Se você for olhar o número de jogadores que estão emprestados a outros times, eles podem muito bem chamar alguns deles para jogar no clube” explicou o treinador, se referindo aos 39 jogadores contratados pelo Chelsea, mas mandatos para outra equipe.

Em contrapartida ao rival, o Arsenal precisará reduzir o seu elenco para o início da temporada, já que conta com muitas opções. “Talvez ele tenha um problema completamente diferente do meu”, comentou.

Quem não gostou muito da declaração foi o próprio Conte que, nesta terça-feira, deu uma resposta à altura. “Eu não estou pedindo pela ‘simpatia’ de nenhum outro técnico. Quero que isso fique claro, essa é a minha mensagem”, revidou o italiano.

“Se o clube decidiu mandar um jogador para outra equipe, a fim de que ele se desenvolva e melhore, é porque ele simplesmente não está pronto para vestir a nossa camisa”, insistiu.

Sem Diego Costa nem Matic, como o campeão Chelsea vai entrar em campo nessa temporada? Veja

Aproveitando para falar sobre o atacante recém-chegado do Real Madrid, Alvaro Morata, o comandante amenizou as críticas e disse que a posição ofensiva é a mais difícil de se adaptar.

“Alvaro está trabalhando muito bem e tem mostrado grande evolução nesses últimos 10 dias. Para mim, a posição de atacante é muito importante para equipe. Ela é mais difícil de adaptação do que as outras”, finalizou.

Na final da Supercopa, decidida na disputa de pênaltis, o jogador mandou para fora, dando a vitória ao Arsenal. Dessa maneira, foi muito julgado pela torcida, sem ainda nem ter estreado no campeonato nacional.