Atributos medianos de Flamengo e Corinthians em 'PES 2018' fazem justiça ao futebol brasileiro?

ESPN.com.br

Divulgação/Konami
O líder do Brasileirão 2017 e o forte elenco da Gávea são exclusivos de PES 2018.
O líder do Brasileirão 2017 e o forte elenco da Gávea são exclusivos de PES 2018.

Um dos pontos que "tira o sono" dos jogadores a cada lançamento de Pro Evolution Soccer é o rating de seu time favorito ou do "coração". No caso dos flamenguistas e corintianos, essa é espera é ainda maior, pois os clubes mais populares do Brasil são exclusivos para o jogo de futebol da Konami.

Faltando pouco mais de um mês para o lançamento de PES 2018, podemos ter uma ideia do valor de Flamengo e Corinthians no jogo por meio de uma demonstração do jogo. Após disponibilizar o "Beta Público" com Brasil e França aos jogadores de todo globo a fim de testar diversas funcionalidades, a Konami liberou uma versão "demo" com mais times, porém restrito a imprensa e membros da comunidade de PES.

Esta "demo" possui uma estimativa dos ratings de Flamengo e Corinthians, que dão uma noção do "peso" dos clubes no novo jogo. Confira os valores dos jogadores nesta demo e comente se os ratings estão corretos ou se merecerem uma sintonia fina por parte da Konami. Os números a seguir são provisórios e devem sofrer alterações até a versão final do jogo.

Além de um elenco forte para os padrões brasileiros, principalmente com um jogador na casa do "81", caso de Diego, o Flamengo possui diversas opções no banco, como Conca e Vizeu. No entanto, a escalação já se apresenta desatualizada, sem Éverton Ribeiro e Diego Alves, com Damião (foi para o Internacional) e Márcio Araújo na reserva.

Nesta versão provisória do Timão, o melhor jogador é Fágner, que vem sendo convocado por Tite para a Seleção Brasileira, seguido por Cássio e Rodriguinho. Para formações alternativas, Danilo e Giovanni Augusto podem ser boas opções no meio de campo.

Valores provisórios, mas que não são novidade

Um ponto importante que surge aos analisarmos estes números provisórios é a continuidade de uma tendência que acompanha o futebol brasileiro nos videogames: o nível. Diego, com seus "81", torna-se um rei em meio aos jogadores brasileiros, que "navegam" entre "60" e "70" pontos. Um time como o Flamengo, com diversos nomes com mais de 75 pontos, torna-se um esquadrão.

É verdade que os grandes jogadores do mundohá muito tempo, desfilam na Europa. O Brasil, e outros países da América do Sul, tornaram-se "celeiros" para revelações que abastecem outros mercados. No entanto, o talento que permanece aqui, ou que volta por qualquer motivo, não é visto com olhos mais generosos, seja pela Konami ou EA Sports, com seu FIFA.

Não se espera que os times daqui sejam elevados a super potências dignas da Champions League. No entanto, o futebol nacional é colocado em um patamar que somente o orgulho de controlar nosso clube do coração faz com que os times do Brasileirão sejam escolhidos ao jogarmos PES.

Jogar com Palmeiras, Corinthians ou Flamengo nos traz uma sensação que há dois jogos em um só. Nem precisamos escolher uma grande liga para ter essa sensação: mercados secundários, como o português ou turco, possuem times bem melhores que os nossos melhores.

Tomemos Gabriel Jesus como exemplo. O jogador tinha em PES 2017, jogando pelo Palmeiras e Seleção Brasileira, rating  de "76".  Ao se transferir para o Manchester City, "pulou" para "80" e sem ter meia temporada pela Premiere League, aparece nas preliminares de PES 2018 com "82". Por que não houve uma valorização enquanto ele esteve no Palmeiras, com uma atualização mais dinâmica de acordo com o desempenho real do jogador? Um Jesus mais robusto tornaria o Palmeiras uma atracão a mais em "PES 2016".

Uma análise justa dos números de nossos clubes é mais do que válida.

Pro Evolution Soccer 2018, que terá Philippe Coutinho como destaque na capa brasileira, será lançado em 12 de setembro com versões para PC, PlayStation 4, PlayStation 3, Xbox One e Xbox 360.