Botafogo vence Nacional no Uruguai e fica perto de vaga nas quartas

ESPN.com.br

Getty
João Paulo comemora gol do Botafogo
João Paulo comemora gol do Botafogo

O Botafogo foi até o Uruguai, no estádio Gran Parque Central, e conseguiu uma importante vitória por 1 a 0 diante do Nacional, no jogo de ida das oitavas de final da Copa Libertadores da América de 2017, nesta quinta-feira.

João Paulo marcou o gol do Botafogo, aos 37 minutos do primeiro tempo. Após um forte chute de Bruno Silva, a bola explodiu na zaga adversária e sobrou para João Paulo dar um leve toque para o fundo da rede.


Com este resultado, o Botafogo pode até empatar no jogo de volta, no dia 10 de agosto, no Engenhão, que mesmo assim ainda avança para as quartas de final da Copa Libertadores.

O clube carioca não fica entre os oito melhores da Libertadores desde 1963, há 54 anos, quando foi até a semifinal liderado por Garrincha, Nílton Santos, Zagallo e cia em sua primeira participação na competição, sucumbindo diante do Santos de Pelé.

O jogo

Debaixo de muita chuva e temperatura baixa, Nacional e Botafogo começaram a partida com muita disposição. O time uruguaio marcava a saída de bola , tentando dificultar a troca de passes da equipe carioca. Aos três minutos, a equipe uruguaia criou a primeira chance. Viudez fez ótima jogada pela direita e cruzou. Emerson Silva não conseguiu cortar e atrapalhou Gatito Fernández, mas Arnaldo chegou antes de Ramírez e aliviou o perigo. Logo depois, Viudez arriscou da intermediária e Gatito Fernández defendeu com segurança.

O Nacional ficava mais tempo com a bola e Viudez era o encarregado de organizar as jogadas de ataque da sua equipe. Aos 11 minutos, Polenta cruzou e Silveira subiu mais do que Emerson Silva e cabeceou com perigo. Três minutos depois, o time da casa criou a sua melhor oportunidade para marcar. Após cruzamento na área, a zaga não cortou e Silveira completou. A bola passa pela pequena área e Romero falhou ao tentar concluir quando estava livre. Fernandez apanhou a sobra, mas seu chute foi bloqueado por Gatito Fernández, que usou a perna direita para evitar o primeiro gol uruguaio.

O Botafogo só apareceu na área uruguaia aos 20 minutos, quando Rodrigo Pimpão recebeu na esquerda e lançou para a entrada de Bruno Silva, mas o volante, bem marcado, não conseguiu concluir. Aos 22 minutos, Rodrigo Pimpão derrubou Fucile ao lado da área. Na cobrança de Viudez, Gatito aliviou de soco. O meia-atacante Viudez era o principal jogador da equipe da casa, conduzindo sua equipe para o ataque com velocidade e talento, dando muito trabalho aos zagueiros do time carioca.

Os jogadores do Nacional se revoltaram quando, aos 28 minutos, após cruzamento na área, o lateral Victor Luiz usou as mãos para evitar que a bola o encobrisse. O árbitro não marcou o pênalti. O jogo ficou nervoso, com muitas entradas ríspidas e muitas reclamações por parte dos jogadores das duas equipes, que tentavam pressionar a arbitragem.

Mesmo dominado, o Botafogo marcou o primeiro gol, aos 37 minutos. Rodrigo Pimpão arrancou pela esquerda e fez lançamento perfeito para Bruno Silva que entrava livre pela direita. O volante bateu, a bola desviou na zaga e sobrou para João Paulo que, inteiramente livre, só teve o trabalho de desviar do goleiro uruguaio. Foi o primeiro gol de João Paulo com a camisa alvinegra.

o Nacional não ficou desanimado com a desvantagem e seguiu pressionando em busca do gol do empate. Viudez cruzou, Carli cortou e Carballo chegou batendo de forma violenta, mas a bola passou perto. Logo depois, a equipe da casa desperdiçou uma chance incrível. Após lançamento na área, o zagueiro Emerson Silva falhou de forma grotesca e a bola sobrou para Fernandéz, que tocou para Silveira, inteiramente livre na pequena área, mas o atacante, sem ter ninguém pela frente, mandou a bola por cima.

Os dois times voltaram sem modificações para o segundo tempo. E a partida seguiu truncada, com o Nacional ficando mais tempo com a bola e o Botafogo se defendendo com muito empenho, mas sem conseguir segurar a bola no ataque. Para tentar aumentar a força ofensiva da sua equipe, o técnico do Nacional tirou o lateral direito Fucile e colocou o atacante Kevin Ramirez. O volante Romero passou a atuar do lado direito para recompor o sistema defensivo.

Só aos 16 minutos é que aconteceu o primeiro lance de perigo na segunda etapa, quando Bruno Silva apanhou um rebote na entrada da área e chutou para uma defesa tranquila de Conde. O Nacional continuava pressionando, mas não conseguia chegar ao gol de Gatito, apesar da boa atuação de Viudez, que seguia organizando as melhores jogadas da sua equipe. Aos 25 minutos, os zagueiros uruguaios se confundiram e a bola sobrou para Roger, que bateu cruzado e Conde fez boa defesa.

O Botafogo não conseguia sair da defesa e se limitava a tentar bloquear as investidas do adversário. Já advertido com o cartão amarelo, João Paulo deixou o campo para a entrada de Camilo. Logo depois foi a vez de Pimpão, que foi substituído por Guilherme. Nos minutos finais, o Nacional atacou de forma desesperada, mas a defesa do Botafogo, comandada por Joel Carli, soube se defender para garantir o importante resultado.

FICHA TÉCNICA :
NACIONAL-URU 0 X 1 BOTAFOGO-BRA

Local: Estádio Parque Central, em Montevidéu (Uruguai)
Data: 6 de julho de 2017 (Quinta-feira)
Horário: 21h45(de Brasília)
Árbitro: Julio Bascuñan (Chile)
Assistentes: Christian Schiemann (Chile) e Carlos Astroza (Chile)
Cartão Amarelo: Polenta, Fucile, Romero(Nac); João Paulo, Bruno Silva(Bota)
Gol: BOTAFOGO: João Paulo, aos 37 minutos do primeiro tempo

NACIONAL: Conde, Fucile(Kevin Ramirez), Rafael García, Polenta e Espino; Santiago Romero, Felipe Carballo e Álvaro González; Viudez(Martín Ligüera), Fernández e Silveira(Diego Coelho) Técnico: Martín Lasarte

BOTAFOGO: Gatito Fernández, Arnaldo, Joel Carli, Emerson e Víctor Luís; Rodrigo Lindoso, Bruno Silva, Matheus Fernandes e João Paulo(Camilo) ; Rodrigo Pimpão(Guilherme) e Roger(Marcos Vinicius) Técnico: Jair Ventura