Após mais de um ano, Balbuena faz três gols e já supera marca de 2016

Agência Gazeta Press

Luis Acosta/AFP/Getty Images
Balbuena anotou o gol de empate do Corinthians na Colômbia
Balbuena anotou o gol de empate do Corinthians na Colômbia

O zagueiro Balbuena ganhou os holofotes no Corinthians após salvar a má atuação da equipe com um gol nos acréscimos, garantindo o empate por 1 a 1 com o Patriotas-COL, pela partida de ida da segunda fase da Copa Sul-Americana. O tento, o terceiro marcado nos últimos 15 dias, fez com que o paraguaio já superasse a marca estabelecida em 2016, seu primeiro ano no clube.

Com vitória, Corinthians alcança 24 jogos invicto e pode passar marca de 2015 contra o Palmeiras; veja

Contratado com o aval de Tite no ano passado, Balbuena chegou a dois gols marcados logo nos primeiros meses daquela temporada, anotando tentos frente ao Linense e à Ponte Preta, ambos pela primeira fase do Campeonato Paulista, sendo o último no dia 29 de março. Depois, porém, não conseguiu mais vencer os goleiros adversários, apresentando também uma queda de rendimento na sua principal função, a defensiva.


Em novo ritmo com a chegada de Pablo e efetivação de Fábio Carille como treinador, o paraguaio se cobrou para marcar durante o primeiro semestre, conseguindo chegar ao gol na partida contra o Cruzeiro, disputada no dia 14 de junho, na Arena Corinthians. Oito dias depois, contra o Bahia, anotou o segundo do time, o primeiro sem usar a cabeça, apenas empurrando a bola à rede após desvio de Romero.

Na última quarta, Balbuena anotou pela primeira vez longe da casa corintiana, tabelando com Fagner já nos acréscimos e aparecendo na área para cabecear. O empate, por sinal, dá à equipe do Parque São Jorge a vantagem de poder até empatar sem gols no jogo da volta, no dia 26 de julho, em Itaquera, para avançar de fase.

Carille diz que poucos jogadores reclamaram da altitude, mas ressalta problema das medidas do campo

De quebra, Balbuena ainda assumiu o posto de zagueiro-artilheiro do elenco na temporada, menos de três semanas antes de ser o único beque que atuou no ano a não marcar gols. Léo Santos e Pedro Henrique, ambos com um, e Pablo, com dois, agora estão atrás do paraguaio.