Mancini vê falta de equilíbrio da Chapecoense e revela busca por reforços

Gazeta Press
GazetaPress
O técnico Vagner Mancini lamenta eliminação da Chapecoense
Vagner Mancini não ficou satisfeito com a derrota em casa, mas vê motivos para o resultado negativo

A Chapecoense saiu de campo frustrada com a derrota por 2 a 0 sofrida para o Botafogo neste domingo na Arena Condá. Sem Rossi, principal peça de desafogo da equipe, o Verdão do Oeste teve Apodi como sua principal arma durante o duelo, no entanto, prevaleceu a consistência dos rivais cariocas. Para Vagner Mancini, faltou equilíbrio ao time atual campeão da Copa Sul-Americana.

"Acho que hoje a Chape não teve o que é o forte dela: equilíbrio. A falta desse equilíbrio fez com que a gente permitisse ao Botafogo coisas que a gente normalmente não permite. Sabemos que a Chape pode render mais e diante disso precisamos saber que jogando fora de casa, diante do Flamengo, vamos ser testados, pressionados. Temos que ter a frieza da equipe que já fez bons jogos. Temos que parar de errar", disse o técnico da Chapecoense já projetando o duelo da próxima quinta-feira, contra o Flamengo, no estádio Luso-Brasileiro, na Ilha do Governador.

Embora a temporada 2017 já esteja se encaminhando para o segundo semestre, Mancini não escondeu que a Chapecoense ainda está em busca de reforços. Ciente de que o ano será longo e precisando se manter na elite do futebol nacional, o clube espera trazer novos nomes que possam agregar ao elenco mesmo com a limitação financeira que tem de lidar por ser um clube de menor expressão.

"Nós nunca escondemos isso, há a necessidade de mais algumas peças de reposição. Hoje não tínhamos o Rossi, de repente perdemos o Osman, que estava bem na partida. A gente está atrás, é necessário dizer isso. Infelizmente, além de termos nossas limitações, o mercado não te oferece muita coisa", comentou.

Por fim, Mancini falou sobre a discussão protagonizada pelo zagueiro Victor Ramos e Apodi. O defensor chamou a atenção de seu companheiro de maneira bastante ríspida, mas o treinador garantiu que isso é necessário em uma equipe de futebol.

Assista aos gols da vitória do Botafogo sobre a Chapecoense por 2 a 0!

"Isso tem que existir, é uma cobrança que é feita até por mim. Eles têm que se cobrar dentro de campo, é claro que não a ponto de chegar às vias de fato. Vocês não têm acesso ao nosso vestiário, mas isso é muito comum. Quando se erra dentro de campo e prejudica o todo, você tem que cobrar. O ser-humano é movido pelo elogio, mas a crítica faz parte, desde que seja respeitosa. Essa briga não é a briga da desunião, é a briga para se achar o melhor resultado", encerrou o comandante da Chape.