Com violência do lado de fora e atraso, Corinthians e Coritiba empatam sem gols

ESPN.com.br com Gazeta Press
Assista aos melhores momentos do empate entre Coritiba e Corinthians por 0 a 0

Desta vez, nada de domínio no primeiro tempo, nem de gols. O Corinthians teve muito trabalho diante do Coritiba no Couto Pereira e ficou no empate sem gols, neste domingo, em duelo válido pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro. Os alvinegros até marcaria aos 42min do segundo tempo, com Jô, mas o lance foi anulado por impedimento.

Antes de a bola rolar, a partida ficou marcada por um atraso devido a um episódio lamentável. Um confronto entre torcedores deixou uma pessoa gravemente ferida e causou o atraso da chegada do ônibus do time visitante ao estádio - cerca de 30 minutos.

Por conta disso, a equipe paulista demorou a entrar no gramado, perdendo inclusive a execução do Hino Nacional. A partida, aliás, começou pouco depois das 11h (de Brasília), horário inicialmente marcado para o duelo.

Com o resultado, o Corinthians, que vinha de seis vitórias seguidas na competição (Vitória, Atlético-GO, Santos, Vasco, São Paulo e Cruzeiro) vai a 20 pontos e pode perder a liderança da Série A, caso o Grêmio, que tem 18 pontos, ganhe do Cruzeiro fora de casa na segunda-feira. O time paranaense, por sua vez, empatou o terceiro jogo seguido - vinha de igualdades com Botafogo e Bahia - aparece no terceiro lugar com 15 pontos.

Apesar de poder deixar o topo da classificação, o time comandado por Fábio Carille pode comemorar uma invencibilidade que já dura três meses. A última derrota foi ainda no dia 19 de março para a Ferroviária, ainda na primeira fase do Campeonato Paulista. Desde então, são 12 vitórias e oito derrotas.

Mais que isso: o Corinthians sequer sabe o que é ficar atrás do placar desde o dia 26 de março daquele mesmo mês, quando saiu perdendo o clássico para o São Paulo, mas acabou buscando o empate, também na primeira fase do Campeonato Paulista.

Pela próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o Coritiba visitará o Grêmio em Porto Alegre, na quinta-feira, às 21h (de Brasília). No mesmo dia, o Corinthians receberá o Bahia na arena de Itaquera, às 19h30.

O jogo - Quando a bola rolou, a equipe da casa continuou antecipada ao atrasado Corinthians. Foi o Coritiba que tomou a iniciativa de atacar, mesmo atuando com três jogadores de contenção no seu meio de campo, empurrado pela cantoria da maioria do público presente.

A pressão do time mandante não chegou a trazer grandes preocupações para Cássio, mas colaborou com a postura contida do adversário. Com o retorno de Rodriguinho e sem Jadson, que acusou desgaste físico e permaneceu em São Paulo, o líder do Brasileiro era pouco criativo e não dava trabalho ao goleiro Wilson.

Para piorar, o Corinthians ainda sofreu uma baixa aos 29 minutos. Marquinhos Gabriel sentiu a mesma lesão na coxa direita que havia provocado a sua substituição contra o Cruzeiro e precisou ceder lugar a Clayson. A alteração fez Romero ser deslocado da esquerda para a direita do ataque.

Os minutos finais do primeiro tempo também foram diferentes, um pouco mais movimentados. Aos 42, Henrique Almeida escapou com liberdade pela direita e parou na intervenção de Cássio ao soltar o pé, na melhor chance de gol da etapa inicial. O Corinthians respondeu com um cruzamento de Romero e uma cabeçada de Rodriguinho, sem o mesmo perigo.

Fábio Carille não mexeu na formação do Corinthians no intervalo, mas enfim soltou a sua equipe, agora um pouco mais presente no setor ofensivo. No Coritiba, a estratégia era aproveitar os novos espaços oferecidos para surpreender a bem postada defesa adversária.

Aos 20 minutos, quase o Coritiba foi bem-sucedido. William Matheus levantou a bola da esquerda, e Henrique Almeida emendou de primeira da entrada da área. Mandou para fora, mas fez o suficiente para levantar a torcida no Couto Pereira.

Incomodado com a dificuldade que o Corinthians tinha para revidar, Carille tentou melhorar a saída de bola do seu time com a entrada de Camacho na vaga de Gabriel. Pelo Coritiba, Pachequinho trocou o ex-corintiano Rildo por Iago Dias e, depois, Henrique Almeida por Tiago Real.

Assim como o final do primeiro tempo, a reta decisiva do segundo ficou aberta, com as duas equipes se arriscando mais. A última ficha do Corinthians foi o novato Pedrinho, ocupando o posto de Romero. Já aos 42 minutos, contudo, era difícil reverter a igualdade do marcador. Jô ainda chegou a colocar a bola na rede com assistência de Maycon, e o gol acabou anulado por impedimento, de forma polêmica.

CORITIBA 0 x 0 CORINTHIANS

18/6 - COUTO PEREIRA (CURITIBA-PR)

ÁRBITRO: Marcelo de Lima Henrique (RJ);
RENDA: R$ 1 072 545,00;
PÚBLICO: 23 824;
CARTÕES AMARELOS: Dodô e Márcio (Coritiba); Gabriel, Romero e Fágner (Corinthians)

CORITIBA: Wilson (6), Dodô (5,5), Werley (6), Márcio (6) e William Matheus (6); Alan Santos (5,5) (Neto Berola 45 do 2º (s/n)), Jonas (6,5) e Matheus Galdezani (5,5); Henrique Almeida (5,5) (Tiago Real 36 do 2º (s/n)), Rildo (5) (Iago Dias 28 do 2º (5)) e Alecsandro (5). TÉCNICO: Pachequinho

CORINTHIANS: Cássio (6,5), Fágner (5), Balbuena (6), Pablo (6) e Guilherme Arana (6); Gabriel (5,5) (Camacho 24 do 2º (5)), Maycon (5,5), Marquinhos Gabriel (5) (Clayson 28 do 1º (5,5)) e Rodriguinho (6); Romero (5,5) (Pedrinho 39 do 2º (s/n)) e Jô (5,5). TÉCNICO: Fábio Carille