O homem certo: entenda por que Guardiola quer levar Daniel Alves ao Manchester City

Jonathan Smith, do ESPN FC*
Getty
Guardiola quer reeditar a parceria com Daniel Alves no Manchester City
Guardiola quer reeditar a parceria com Daniel Alves no Manchester City

Pep Guardiola quer levar Daniel Alves ao Manchester City, informaram fontes ao ESPN. O lateral direito vai para o segundo de dois anos de contrato com a Juventus e poderia mudar de clube por cerca de 5 milhões de libras.

O clube inglês está sem um lateral direito reconhecido depois das saídas de Pablo Zabaleta e Bacary Sagna ao final da última campanha.

Recentemente, o City vem sendo ligado como possível destino do também lateral direito Kyle Walker, do Tottenham. Conforme informado ao ESPN FC, um acordo com o brasileiro não necessariamente interromperá o interesse no atleta da seleção inglesa.

Mas qual seria o motivo exato para Guardiola querer reeditar a dupla com Daniel Alves?

O técnico deseja mais energia de seus laterais para implementar sua filosofia no City, o que requer deles um fortalecimento ao ataque assim como à defesa. Suas opções na temporada 2016-17, a sua primeira à frente do time, não foram capazes de oferecer o que ele queria, e, assim, teve de mudar o seu estilo.

Confiança de Guardiola e solução pra defesa; Para Marra, Daniel Alves cairá como uma luva ao Manchester City

"Não temos laterais para ir para cima e para baixo, porque eles têm 33, 34 anos, então eu me adapto à qualidade dos meus jogadores", afirmou o comandante espanhol após o empate por 0 a 0 com o Manchester United em abril.

"Nos últimos jogos nós jogamos com (Gabriel) Jesus e atacamos muito com o lateral, mas Pablo (Zabaleta), Sagna, Kolarov e Clichy - todos eles têm mais do que 33 abos e não têm pernas para subir e descer. É por isso que prefiro que eles joguem em outras posições."

Dos quatro nomes mencionados, apenas Kolarov segue no elenco. Os outros três deixaram o clube sem custos.

Getty Images
Daniel Alves, Juventus, 2017
Daniel Alves ganhou Italiano e Copa da Itália em 2016-17

Daniel Alves acabou de completar 34 anos, mas suas performances pela Juvetus fundamentais para que a Juventus conseguisse a dobradinha na Itália e o vice da Uefa Champions League mostraram que ele continua tendo muito a oferecer e que está em condições físicas perfeitas para Guardiola.

O brasileiro perder apenas um dos jogos da Juventus na Champions - o confronto derradeiro da fase de grupos contra o Dínamo de Zagreb, quando se recuperava de fratura na fíbula. Na competição, ele marcou três gols e deu quatro assistências, sendo duas na vitória fora de casa contra o Monaco, pela ida da semifinal.

O lateral seria usado mais moderadamente na Série A, mas fontes disseram ao ESPN FC que é improvável que ele seria o único lateral direito a chegar ao clube. Não à toa, Walker é um alvo.

Ex-City no Chelsea e reforço milionário no Everton: Futebol no Mundo e o mercado de goleiros na Prem

Seria adequado a Guardiola rodas dois laterais direito de qualidade se ele pretende lutar pela Premier League e pela Champions League.

Getty
Daniel Alves é um dos destaques da Juventus, semifinalista da Champions
Lateral fez 3 gols e deu 4 assistências na última Champions

O espanhol questionou a mentalidade ganhadora do seu elenco na última temporada, e Daniel Alves é o jogador, que não aceitará mediocridade e estará pronto para o desafio de ajudar o City a alcançar o próximo nível.

"Não é apenas a qualidade, é a mentalidade e a presença para se jogar naquele nível", disse o treinador depois da eliminação para o Monaco nas oitavas de final da Champions. "Claro que temos de fazer mudanças para a próxima temporada. É como eles jogam em grandes situações".

Daniel Alves é um vencedor em série. Em seus oito marcantes anos no Barcelona, ganhou seis títulos do Espanhol, quatro da Copa do Rei, e três da Champions. Ele também ganhou quatro taças no Sevilla e ainda possui inúmeros prêmios individuais.

UEFA divulga seleção com os melhores da Champions League; veja

É o tipo de histórico que faz do brasileiro um dos grandes nomes na atualidade e que alavancaria a reputação do clube inglês.

Junto a isso, seu perfil irreverente e sua grande legião de fãs nas redes sociais - são 7,9 milhões de seguidores no Twitter, 14,8 milhões no Instagram e 8,2 milhões no Facebook, signfica que ele também ajudaria a espalhar ainda mais a imagem do City.

Além disso, o brasileiro nunca jogou na Inglaterra e poderia ficar tentado sobre a possibilidade de trabalhar novamente sob o comando de Guardiola.

O texto acima é uma versão editada e traduzida. Você pode conferir o original, em inglês, clicando aqui*